Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Presidente da AFA admite 'duro golpe' na Copa, mas vê Argentina 'em crescimento'

Claudio Tapia vê Mundial da Rússia como ponto baixo da temporada 2018 e exalta retomada

Redação, Estadão Conteúdo

26 de dezembro de 2018 | 15h18

O presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA) fez nesta quarta-feira um balanço do ano do futebol do país. Em entrevista ao canal da entidade no Youtube, Claudio Tapia considerou a Copa do Mundo como o ponto baixo da Argentina em 2018, mas avaliou que houve evolução desde então e que a seleção nacional está "em crescimento".

"Depois de superar o duro golpe da eliminação no Mundial, agora estamos atravessando uma nova etapa, de crescimento e que vai dar para a Argentina uma projeção esportiva no futuro, com um projeto de seleção que há muito tempo não tínhamos. É ambicioso, de 10 anos, em que o desenvolvimento vai ser em nosso país, onde haverá centros de alto rendimento em que veremos os garotos. E poderemos gerar coisas que talvez a seleção não consiga gerar hoje", declarou.

No Mundial da Rússia, a Argentina ficou devendo. Na primeira fase, perdeu da Croácia, empatou com a Islândia e só venceu a Nigéria. Acabou caindo logo nas oitavas de final, diante da França. De lá para cá, Lionel Messi não vestiu mais a camisa do país, mas Tapia minimizou a ausência do principal craque do país.

"O Messi nunca saiu da seleção. Eu acredito que é tão grande o amor que ele tem por esta camisa que quando for convocado, vai voltar. Não tenho dúvidas disso. Acredito que depende do técnico, não dele", comentou.

O treinador da Argentina, Lionel Scaloni, já disse em outras oportunidades que chegou a um acordo com Messi para dar um descanso da seleção ao craque. O pedido partiu do próprio jogador, o que não assusta Tapia. "Eu o vejo muito feliz, contente. Espero que nas próximas convocações possa fazer parte da lista."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.