Wilton junior/Estadão
Wilton junior/Estadão

Presidente da CBF defende jogos em meio à pandemia: 'Eu vou mandar no futebol brasileiro'

Rogério Caboclo diz que clubes estarão 'f... se não tiver' competições no País

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2021 | 19h42

Em meio ao pior momento da pandemia do novo coronavírus no Brasil, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Rogério Caboclo, defendeu em reunião virtual com os principais clubes do País no último dia 10 que o calendário do futebol deveria seguir normalmente, sem interrupção. O vídeo do encontro foi divulgado pelo jornal O Dia nesta terça-feira.

"Eu vou mandar no futebol brasileiro e vou determinar que vai ter competição. Porque vocês estão f... se não tiver. Eu assumo o ônus por todos vocês", disse Caboclo aos presidentes de clubes.

Durante o encontro, o dirigente afirma ainda que a Rede Globo, emissora que detém os direitos de transmissão dos principais torneios da temporada, também não tem intenção de paralisar os jogos. "Vamos pensar agora: nós podemos parar o futebol? A Rede Globo não quer. Ninguém quer (parar o futebol), seus patrocinadores não querem. E, se parar, sabe quando nós temos a segurança de dizer que a gente pode voltar? Nunca”, falou Caboclo em determinado trecho da reunião (veja nota da emissora abaixo)

Entre os representantes dos clubes que aparecem na videochamada estão Rodolfo Landim, do Flamengo, Jorge Salgado, do Vasco, Duílio Monteiro Alves, do CorinthiansMaurício Galiotte, do Palmeiras, e Guilherme Belintani, do Bahia. O presidente do Palmeiras tenta fazer com que o assunto seja tratado em outro momento por achar a questão mais ampla, mas Caboclo não concorda.

Por fim, diante do clima de tensão, Caboclo diz ter telefonemas para atender e encerra o encontro com a seguinte pergunta. “Algum presidente aqui presente é contra a continuidade (do calendário)?“ Diante do silêncio dos dirigentes, ele finaliza a chamada.

A pandemia do novo coronavírus já afeta mais da metade dos campeonatos estaduais e, consequentemente, a agenda dos clubes brasileiros. Enquanto o País se aproxima da triste marca de 300 mil mortes causadas pela doença, os torneios regionais não têm conseguido ficar imunes à devastação causada pela covid-19. Levantamento feito pelo Estadão mostra que, dos 27 torneios regionais deste início de temporada, pelo menos 16 enfrentam algum tipo de restrição

As competições organizadas pela CBF, no entanto, não foram paralisadas. A Copa do Brasil, por exemplo, teve seus jogos transferidos para localidades nas quais a prática de atividades esportivas está autorizada.

Leia a nota da Globo:

"Como vem fazendo desde o início da pandemia há mais de um ano, a Globo segue respeitando as orientações dadas pelas autoridades competentes e acompanhando as decisões dos organizadores das competições. Entendemos que o momento é de cautela, e que a prioridade é a segurança de todos. Vamos seguir e respeitar todos os protocolos que forem definidos e decididos pelas entidades.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.