Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Presidente da CBF elogia Mano Menezes por atuações nos EUA

José Maria Marín ressaltou estar confiante no grupo da seleção brasileira, por considerar que está no caminho certo

FÁBIO HECICO,

22 de junho de 2012 | 17h17

SÃO PAULO - Mesmo com duas derrotas em três jogos, a excursão da seleção brasileira pelos Estados Unidos parece ter fortalecido o técnico Mano Menezes. Nesta sexta-feira, em visita ao Centro de Treinamento do Corinthians, no Parque Ecológico, o presidente da CBF, José Maria Marin, elogiou o trabalho do treinador, inclusive nos amistosos em solo norte-americano.

"O Mano está fazendo um excelente trabalho, estamos no caminho certo. Fiquei muito feliz com as últimas participações. Perdemos de México e Argentina, não fiquei contente, mas eu fiquei confiante neste grupo", avaliou Marin, lembrando que mexicanos e argentinos usaram o que tinham de melhor enquanto o Brasil entrou em campo com seu time olímpico.

"Eles (jogadores brasileiros) mostraram futebol excelente e ganhar ou perder faz parte da mecânica. Muitas vezes o time vence, mas não convence, tem umas que perde e sai convincente. Estamos no caminho certo, estamos confiantes, e o próprio povo está vendo essa seleção com mais confiança, é um grupo jovem", completou o presidente da CBF.

Apesar dos elogios a Mano Menezes, Marin voltou a afirmar que não garante o técnico no cargo. E, desta vez, usou uma comparação curiosa. "Não garanto nada, nem minha mulher. A pergunta foi "garantir". Depois você (repórter) me diz que não tenho palavra. Você não garante nem a amizade de seu melhor amigo. Pode te aprontar, vai garantir que é leal?", lembrou, prometendo que o tratamento com Mano é sempre "olho por olho, nada de telefone, de recado".

Ao exaltar o momento da seleção brasileira, Marin aproveitou para cutucar os medalhões, num recado que pareceu endereçado a Ronaldinho Gaúcho. "Nós não queremos que nenhum jogador, por mais craque que seja, venha vestir a nossa camisa como se tivesse fazendo favor. Tem que se integrar ao grupo, que já está comprometido."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.