Presidente da Federação Colombiana de Futebol renuncia ao cargo

A Federação Colombiana de Futebol surpreendeu nesta segunda-feira e anunciou o pedido de renúncia de seu presidente, Luis Bedoya. O agora ex-dirigente da entidade decidiu deixar o cargo e alegou "motivos de caráter pessoal", de acordo com comunicado divulgado pela própria FCF.

Estadão Conteúdo

09 de novembro de 2015 | 13h12

A entidade garantiu que o pedido de renúncia era "irrevogável". Além de presidente da federação nacional, Bedoya, de 56 anos de idade, acumulava as funções de vice-presidente da Conmebol e membro do comitê executivo da Fifa. Sobre estes cargos, não houve qualquer pronunciamento.

O colombiano não foi vinculado com as investigações de corrupção da Justiça dos Estados Unidos e da Suíça, que abalaram o mundo do futebol e resultaram na prisão de diversos dirigentes. No entanto, há poucas semanas foi citado pelo empresário argentino Alejandro Burzaco, que está detido nos EUA, acusado de pagar subornos a cartolas da modalidade.

Ex-presidente da rede de tevê argentina Torneos y Competencias (TyC), Burzaco garantiu que Bedoya foi um dos dirigentes para quem pagou subornos para garantir os direitos de transmissão de alguns torneios. O colombiano respondeu à imprensa local. "Nem eu, nem a federação de futebol temos contato com Burzaco ou a TyC."

Ainda não está claro se a renúncia de Bedoya tem ligação com as acusações de Burzaco. No entanto, o próprio dirigente colombiano chegou a dizer há alguns meses que deixaria o cargo se houvesse motivo para isso. "Se tiver qualquer circunstância que faça com que eu tenha que sair, não hesitaria em nenhum momento."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.