Franck Fife/AFP Photo
Franck Fife/AFP Photo

Presidente da Federação Francesa elogia Mbappé e garante Deschamps até 2020

Segundo dirigente, atacante de 19 anos já está à frente da seleção há muito tempo: 'Se continuar assim, será o número 1 do mundo'

Estadão Conteúdo

09 Julho 2018 | 09h30

O presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noel Le Graet, rasgou elogios à principal revelação do futebol de seu país, Kylian Mbappé, especialmente por ser uma pessoa discreta, e também informou que o técnico Didier Deschamps permanecerá no comando da seleção francesa pelo menos até 2020, quando acontecerá a próxima Eurocopa.

+ Luis Enrique substitui Hierro e é anunciado como novo técnico da Espanha

+ Inglaterra faz treino fechado e conta com retornos de Henderson e Vardy

+ Sem confirmar equipe, Bélgica faz último treino antes de pegar a França

Sobre o jovem de 19 anos, o mandatário do futebol francês disse que "ele tem uma maturidade excepcional em campo e fora dele também. É muito discreto com seus companheiros. Não fica dizendo 'eu, eu', mesmo depois de tudo o que fez contra a Argentina, quando poderia fazer isso", afirmou o dirigente em entrevista divulgada no diário francês "Le Figaro".

Na opinião de Le Graet, a impressão que Mbappé passa é de que já está à frente da seleção francesa há muito tempo. "Se continuar assim, será o número 1 do mundo. Messi e Cristiano Ronaldo estão ficando mais velhos. Creio que ele vem logo atrás desses grandes jogadores. Já conseguiu marcar esse Mundial e ainda faltam duas partidas que ele tem a oportunidade de fazer ainda mais", prosseguiu.

De uma maneira geral, o presidente da FFF elogiou também todo o elenco, mas preferiu falar mais das jovens revelações, como os laterais Pavard e Hernandez. "Se estabeleceram como se estivessem lá há muito tempo", disse. Também considerou que pouco tem se falado do volante Kanté, um dos principais nomes dessa equipe. "Acho que merece mais artigos na imprensa sobre ele", opinou.

 

Por fim, enalteceu o trabalho do técnico Didier Deschamps. "Sim, é o melhor do mundo (risos). Estamos juntos há muitos anos. Tomamos nossos cafés da manhã, nossos almoços e jantares juntos. Também discutimos tudo e nada. Ele é alguém que trabalha muito e é consistente. Posso dizer que agora ele tem trabalhado o dia todo voltado para a Bélgica. Ele será nosso treinador até 2020", afirmou.

A França encara a Bélgica nesta terça-feira, às 15h (de Brasília), em São Petersburgo, pelas semifinais da Copa do Mundo. Do outro lado da chave, a Inglaterra encara a Croácia na quarta-feira, no mesmo horário, em Moscou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.