Presidente da Fifa diz que Copa é uma "onda de entusiasmo"

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, definiu a Copa da Alemanha como "uma onda de entusiasmo", assegurou que os jogadores, diferentemente de outros mundiais, "têm fome de bola" e criticou os árbitros por não usarem o sistema de intercomunicação - feito através de fones em conexão com os assistentes - para corrigir erros. "Após 44 partidas, é um enorme prazer fazer o balanço do campeonato até agora, pois o ambiente é impressionante, algo só visto antes em Seul e em Paris. É uma verdadeira onda de entusiasmo e agradeço o trabalho dos voluntários, os soldados, os policiais e a todo o pessoal de segurança", disse o presidente.Blatter classificou como "ótima" a decisão da Fifa de que os jogadores participantes da Copa deveriam ficar a disposição de suas federações nacionais desde 15 de maio, "pois tiveram tempo de se recuperarem, fazerem um treinamento específico e ao final destas 44 partidas mostraram fome de bola".Quanto aos árbitros, Blatter disse que são todos seres humanos e erros sempre existirão "e é melhor que seja assim, porque se não fosse não ocorreria o debate", continuou o presidente, que considerou "incompreensível" que na partida entre Croácia e Austrália o árbitro, Graham Poll, deu três cartões amarelos a Josip Simunic, "e nenhum dos assistentes de arbitragem fez algo para corrigir o erro do juiz".O terceiro cartão amarelo será anulado da competição já que, como recordou o diretor de Comunicação da Fifa, Markus Siegler, nenhuma das equipes apresentou reclamação alguma.O presidente também admitiu que foram feitos dois gols "fantasmas" e anunciou que está estudando a implantação de um sistema eletrônico para detectar quando a bola passa a linha do gol. "Nas duas ocasiões a bola ultrapassou a linha que garantia o gol, mas o árbitro não deu validez. Temos que trabalhar sobre isso. Compreendo as críticas das equipes prejudicadas, mas uma delas está classificada (Argentina) e a outra (França) pode demonstrar, nesta sexta-feira, a mesma capacidade de fazer gols que vem demonstrado durante a competição".Em relação ao pedido de indenização por parte do time inglês Newcastle para a Fifa, devido a lesão de seu jogador Michael Owen durante o jogo da Inglaterra contra Suécia, Blatter informou que foi criado um fundo de 15 milhões de francos suíços para casos especiais como este, que será estudado após o Mundial.Blatter também elogiou o futebol africano - Gana já está classificada para a próxima fase e Tunísia ainda tem chance -, se declarou impressionado pelo jogo da Costa do Marfim (eliminada), mas também criticou com dureza o conflito que tem ocorrido entre a Federação do Togo e seus jogadores, que estava a ponto de causar a saída da seleção do mundial. "A Comissão de Disciplina abrirá um processo para examinar a fundo as ocorrências, pois não podemos tolerar esse tipo de situação", afirmou Blatter.Em relação com o ranking mundial da Fifa, ao ser recordado que seis dos dez primeiros colocados estão fora da segunda fase, o presidente admitiu que o sistema não é correto e anunciou mudanças para o próximo dia 12 de julho, quando serão considerados apenas os últimos quatro anos, e não os oito como é feito hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.