Presidente da Fifa é acusado de corrupção em livro

A poucas semanas do início da Copa do Mundo, um terremoto ameaça a Fifa, mais especificamente o seu presidente, Joseph Blatter. O cartola está perdendo o sono por causa de um livro que conta em detalhes como ele conseguiu ser eleito para o mais poderoso cargo do futebol mundial. "Foul" (Falta, em inglês), escrito pelo jornalista investigativo Andrew Jennings, acusa Blatter de corrupção e traz provas de compra de votos. O autor espera publicar a obra neste mês, mas nesta quarta-feira a Fifa conseguiu convencer a Justiça suíça a proibir a sua venda.Jennings é um dos autores mais reconhecidos da Europa como investigador de escândalos envolvendo as entidades esportivas internacionais. Há poucos anos, publicou livro em que revelava a corrupção no Comitê Olímpico Internacional. A obra acabou derrubando alguns membros do COI. Em "Foul", o jornalista conta os bastidores da Fifa. Desde setembro de 2005 Blatter vem tentando impedir a publicação e distribuição do livro, alegando que se trata de calúnias. A Justiça, em primeira instância, rejeitou o pedido. Nesta quarta, porém, Blatter obteve uma vitória: conseguiu que, pelo menos temporariamente, a obra não chegue às livrarias. O Tribunal de Zurique não tomou posição sobre a alegação de calúnias, mas optou pela proibição provisória. Para muita gente, a Fifa já conseguiu o que queria: evitar a publicação do livro às vésperas de seu grande evento, a Copa.Segundo o livro, em 1998 a eleição para presidente da Fifa foi marcada por vasta operação de compras de votos e distribuição de contratos para garantir a escolha de Blatter. Também há denúncias sobre a gestão dos recursos da entidade e sobre a venda ilegal de ingressos para os Mundiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.