Presidente da Fifa rompe com o G14

O presidente da Fifa cansou das exigências do G14 e decidiu declarar guerra à associação que representa os 18 clubes mais poderosos da Europa. "Não converso mais com o G14 como um grupo. Não é uma instituição reconhecida na Europa nem representa o futebol europeu", disse Joseph Blatter. O pedido feito pelo G14 para receber uma indenização de US$ 81 milhões por ceder jogadores para as seleções em Mundiais e competições continentais detonou a reação do dirigente. Os clubes ameaçam não liberar seus jogadores para as seleções se não forem atendidos. Para o ano que vem, quando a Fifa completará seu centenário, o dirigente proporá uma mudança radical no calendário mundial. "Queremos limitar o número de jogos de cada time a um máximo de 45. Isso significaria reduzir os participantes nos campeonato nacionais a 16 ou 18."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.