Presidente da Portuguesa assume responsabilidade por 'campanha ridícula'

'Se tem um responsável, sou eu, e não o atleta. Ele não pediu para ser contratado', afirma Alexandre Barros

Estadao Conteudo

15 de março de 2017 | 19h14

O temor do rebaixamento para a Série A3 do Campeonato Paulista está cada vez mais intenso na Portuguesa e o presidente   vive momento de pressão no comando do clube. Com o time dentro da zona da degola, na 15ª colocação, com 10 pontos, o mandatário assumiu a responsabilidade pela atual situação do time na Série A2.

Repórter por profissão, Barros ainda mantém um programa de esportes na Rádio Tropical FM. Foi lá que fez uma autocrítica ao trabalho realizado na Lusa. "Fui buscar os parceiros e estou indo atrás de outros. Alguns não conseguimos, por causa da campanha ridícula que eu, como presidente, faço à frente da equipe", reconheceu.

O dirigente convive com muitas críticas da torcida, principalmente pela insatisfação com a qualidade técnica dos jogadores que integram o elenco. Ele diz concordar com estas críticas e diz não se preocupar com as ofensas das quais tem sido alvo. "Se tem um responsável, sou eu, e não o atleta. Ele não pediu para ser contratado. Quanto aos xingamentos, estou preparado para isso", afirmou.

Na última terça-feira, Barros interrompeu o treino para uma conversa de cerca de uma hora com o elenco. O time se prepara para enfrentar o Rio Claro, único invicto do campeonato, às 20 horas da próxima segunda-feira, no Canindé, em jogo que fecha a 11ª de 19 rodadas da Série A3.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolfutebolPortuguesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.