Pierre Albouy/Reuters
Pierre Albouy/Reuters

Presidente da Uefa ameaça afastar futebol belga de futuras competições

Aleksander Ceferin critica a decisão de encerrar campeonato e cobra solidariedade da liga local

Redação, Estadão Conteúdo

03 de abril de 2020 | 15h31

Aleksander Ceferin, presidente da Uefa, criticou, nesta sexta-feira, a decisão da liga belga de encerrar a temporada e declarar o Brugge como campeão por causa da pandemia do coronavírus. O time tinha uma vantagem de 15 pontos no topo da classificação com uma rodada pela frente antes do início dos playoffs, envolvendo os seis principais clubes do torneio.

"Eu acho que não é esse o caminho. Solidariedade não é algo em uma só direção. Você não pode pedir ajuda e depois tomar uma decisão por conta própria", disse Ceferin, em entrevista à imprensa alemã. "Além disso, devo dizer que os belgas e outros que podem estar pensando em algo semelhante, comprometem sua participação em competições europeias na próxima temporada."

Em uma carta às federações europeias, Ceferin aconselhou às ligas a não encerrarem seus campeonatos, confiante de que nos próximos meses será possível jogar futebol novamente. "Qualquer decisão de encerrar competições nacionais neste momento é apressado e injustificado", afirmou o dirigente na carta.

Ceferin aposta reiniciar as competições europeias e as ligas nacionais em julho ou agosto, mesmo que você tenha que jogar sem público nos estádios. "Futebol sem espectadores não é o mesmo que futebol com espectadores, mas em qualquer caso, é melhor ter futebol sem um público, mas com televisão, do que não ter futebol."

O presidente não aprova manter a temporada, caso o calendário se estenda. "Em setembro ou outubro não há condições." Este posicionamento contraria, por exemplo, o que pensa Karl Heinz Rummenigge, presidente do Bayern de Munique. O dirigente alemão sustenta a opção de terminar a temporada mesmo que a próxima tenha início no inverno europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.