Presidente da Uefa teme pelo 'futuro do futebol'

O presidente da Uefa, Michel Platini, disse na sexta-feira que teme pelo futuro do futebol profissional se não houver um urgente combate à corrupção no esporte.

MIKE COLLETT, REUTERS

26 de agosto de 2011 | 10h33

Salientando que estava emitindo opiniões pessoais, Platini disse a jornalistas em Mônaco, no seu tradicional pronunciamento de abertura da temporada: "Vejo muitas luzes vermelhas piscando, e tenho medo pelo futuro do futebol, que está indo de mal a pior em algumas áreas."

O ex-craque francês disse que o futebol continuará para sempre sendo um esporte das multidões, jogado em ruas e parques, mas que lhe preocupa as fortunas que estão sendo despejadas no esporte, e a viabilidade dos clubes.

Ele disse que as regras do "Fair Play Financeiro" adotadas pela Uefa são vitais para garantir algum grau de transparência nos grandes clubes, e que não haverá volta atrás nesse sistema.

"Os clubes precisam viver de acordo com seus meios. Mas estamos enfrentando grandes problemas. Talvez eu esteja sendo alarmista, mas temos de enfrentar os arranjos de resultados, a corrupção, as apostas ilegais, a violência no campo, o racismo e o vandalismo", disse ele.

"Não há nada de glamuroso em ser presidente da Fifa ou da Uefa - isso acarreta muitas responsabilidades, e uma delas é manter a integridade do jogo", afirmou.

Sobre a ameaça de greves de jogadores em países futebolisticamente poderosos, como Itália e Espanha, Platini disse que elas são sintomáticas dos reais problemas do futebol de ponta.

Platini convocou para setembro uma reunião dos presidentes de todas as 53 federações da Uefa, em que todos os problemas do esporte serão discutidos, na busca por soluções.

Tudo o que sabemos sobre:
FUTPLATINIFUTURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.