Presidente da Wada faz alerta à Fifa

O lugar do futebol no programa olímpico está em risco. O alerta é do presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada), Dick Pound, frente à relutância da Fifa em cumprir integralmente o Código Mundial Antidoping.O assunto será discutido este fim de semana, em Montreal, no Canadá, pelo Comitê Executivo da Wada. E o futebol pode ser excluído da Olimpíada se a entidade concluir que a Fifa não se enquadra nas regras adotadas por todos os esportes olímpicos. Tal decisão também deixaria a Alemanha, organizadora da Copa do Mundo de Futebol de 2006, numa saia-justa - como signatário do Código Mundial Antidoping, o governo alemão deve assegurar que qualquer campeonato mundial disputado em seu território siga o regulamento da Wada.O principal ponto de discórdia diz respeito à punição do atleta pego no antidoping. Enquanto a Wada estabelece dois anos de suspensão, a Fifa insiste em adotar punições mais brandas, que podem chegar a seis meses, e defende o que chama de "análise caso a caso"."Já estamos cansados de discutir o assunto com os dirigentes da Fifa e de eles sempre prometerem que mudarão de atitude. É bom lembrar que a adoção e implementação do Código foram aprovadas por unanimidade no congresso da Fifa do ano passado", disse Pound. "Demos a eles um manual explicando as mudanças que teriam de ser feitas e a maneira de fazê-las. Converso constantemente com Blatter e sei que ele compreende perfeitamente a situação e o que está em jogo. Espero que a Alemanha possa fazer pressão para a que a Fifa entre na linha."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.