Presidente de Angola garante partidas em Cabinda

José Eduardo dos Santos, presidente de Angola, discursou neste domingo após a abertura oficial da Copa Africana de Nações e condenou o ataque ao ônibus que transportava a seleção de Togo, realizado por um grupo rebelde que defende a independência de Cabinda, na última sexta-feira.

AE, Agencia Estado

10 de janeiro de 2010 | 18h54

Em Luanda, o presidente angolano condenou o ataque e pediu a união do povo para a realização da Copa Africana de Nações. "Apesar do ataque terrorista, Cabinda continuará a ser uma cidade sede", afirmou, em seu discurso. "Não há necessidade de ter medo", completou.

Antes da partida entre Angola e Mali, que abriu a competição, foi realizado um minuto de silêncio em memória dos mortos no ataque, que vitimou o motorista do ônibus que transportava a delegação de Togo, um assistente técnico e um assessor de imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.