REUTERS/Umit Bektas
REUTERS/Umit Bektas

Presidente de clube turco é punido por trancar árbitros no vestiário por 4h

Ibrahim Haciosmanoglu, do Trabzonspor, foi suspenso por 280 dias

Estadão Conteúdo

04 Novembro 2015 | 17h41

O presidente do Trabzonspor foi duramente punido pela Federação Turca de Futebol nesta quarta-feira. Ibrahim Haciosmanoglu foi suspenso por 280 dias e terá que pagar uma multa de cerca de US$ 53 mil após ter mantido o quarteto de arbitragem do último jogo do clube trançados por 4 horas dentro do vestiário do estádio.

Na última quarta-feira, o Trabzonspor ficou no empate em 2 a 2 com o Gaziantepspor, em casa, pelo Campeonato Turco. No fim do jogo, o árbitro Cagatay Sahan deixou de dar um pênalti para o Trabzonspor que poderia ter mudado o resultado da partida. Haciosmanoglu, em retaliação, passou ordens para trancar o árbitro e os assistentes no vestiário.

O quarteto só foi libertado depois da intervenção do presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, que intercedeu junto a Haciosmanoglu via telefone. O caso causou revolta no País e o Trabzonspor se explicou dizendo que trancou os árbitros no vestiário como medida de segurança, para evitar que eles fossem agredidos pela torcida.

A desculpa não colou e, nesta quarta, a federação turca puniu o presidente do clube e outros oito dirigentes do clube. Dois deles foram suspensos por 410 dias, enquanto outros seis por um ano cada. O clube ainda terá que jogar duas partidas com portões fechados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.