Divulgação
Divulgação

Presidente de time do Paraná morre após ser esfaqueado por ex-jogador do clube

José Danilson, de 58 anos, dirigente do Nacional, da quarta divisão do País, foi morto por causa de uma dívida em torno de R$ 7 mil com Vinicius Henrique Corsini da Silva

Redação, Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2020 | 08h06

O presidente do Nacional, clube da cidade de Rolândia (PR), foi morto na noite desta quarta-feira por um ex-atleta da equipe de apenas 20 anos. José Danilson, de 58 anos, recebeu facadas no pescoço e na perna e, mesmo socorrido ao Hospital do Coração de Londrina, acabou morrendo. O motivo do crime teria sido uma dívida no valor de R$ 7 mil do futebol.

O homicídio aconteceu na rua Santa Catarina, esquina da rua Hugo Maria do Vale, próximo à empresa KonexTelecom, que tem José Danilson como um dos proprietários. Ele foi surpreendido pelo jogador, identificado como Vinicius Henrique Corsini da Silva.

Vinícius deu duas facadas em José Danilson, sendo uma na região do pescoço e outra na perna. Após a agressão, jogou a faca em uma residência próxima e tentou fugir. Mas acabou detido por populares que o seguraram até a chegada de uma viatura da Polícia Militar, que o prendeu e o encaminhou à delegacia.

Ao ser abordado, o jogador afirmou que cometeu o crime por ter uma desavença com o ex-mandatário dos tempos em que atuou no Nacional-PR. O clube teria uma dívida com seu ex-atleta em torno de R$ 7 mil. Vinícius iniciou a carreira no Rolândia e passou por Nacional-PR e São Paulo Crystal-PB. Atualmente, estava sem clube.

PESSOA CONHECIDA

José Danilson Alves de Oliveira era uma pessoa conhecida na cidade de Rolândia, de 67 mil habitantes, próxima de Londrina. Foi vice-prefeito e por três vezes vereador, entre 2001 e 2012, inclusive comandando a presidência da Câmara Municipal. Ele iria tentar voltar para a política neste ano. Desde 2000, acompanhava o Nacional-PR, clube que presidiu a partir de 2007. O time fará sua estreia na Série D do Campeonato Brasileiro, a quarta divisão nacional, neste sábado, às 15h30, em casa, no estádio Erich George, diante da Ferroviária-SP.

A diretoria ainda não se pronunciou sobre o caso, mas deve pedir adiamento da partida para a CBF. O clube foi campeão no ano passado da Taça Federação Paranaense de Futebol (FPF) e, por isso, ganhou o direito de disputar a Série D do Brasileiro. Também jogará a segunda divisão do Campeonato Paranaense nos últimos meses do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.