Presidente diz que Corinthians está perto de patrocínio

Fala-se nos bastidores que o nome será surpreendente e que pode pagar US$ 15 milhões, ou R$ 35 milhões

MARCEL RIZZO, Jornal da Tarde

18 Janeiro 2009 | 08h34

A diretoria do Corinthians, liderada pelo presidente Andrés Sanchez, alardeia nos bastidores que nas próximas semanas anunciará o maior patrocínio da história do futebol brasileiro. A empresa é multinacional e pagaria em dólar. Fala-se em US$ 15 milhões, o que na cotação de R$ 2,34 representaria R$ 35 milhões anuais somente pelo espaço na frente e nas costas da camisa.Veja também: Com gols de estreantes, Corinthians goleia o EstudiantesEspecial: as armas dos times para o Paulistão 2009 Paulistão 2009 - TabelaConfira as novidades do mercado do futebol Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoO nome da empresa é mantido em sigilo, mas a Nestlé aparece como possibilidade já há algumas semanas. A negociação com a Emirates Airlines esfriou. No clube, porém, comenta-se que o nome será surpreendente.Um acordo nesses valores causa estranheza no atual cenário de crise econômica. O próprio Sanchez admitiu a aliados que o anúncio feito pelo São Paulo, de que acertou com a LG pelos mesmos R$ 15 milhões do ano passado, atrapalhou a negociação corintiana. O presidente e seu departamento de marketing avaliavam que se o rival tivesse a marca valorizada, automaticamente a do Corinthians também cresceria.O principal entrave para anúncio do parceiro ainda é o tempo de contrato. Os interessados, inclusive a tal multinacional que pagaria em dólar, querem contratos de dois ou três anos, mas o Corinthians quer vínculo de uma temporada. Como 2010 é o ano do centenário, a diretoria acredita que a marca estará mais valorizada no ano que vem.Com a ajuda da R9, empresa de Ronaldo, continuam as negociações de patrocínio da manga e do calção. A TIM, que já patrocinou o jogador, está de olho na manga. Como o craque terá 80% de cada um dos acordos, que valem cerca de R$ 5 milhões cada, o clube levaria R$ 2 milhões.ESTRÉIACaso não feche os acordos até a próxima quinta-feira, quando estreia no Paulistão contra o Barueri, a diretoria de marketing admite que possa fazer novos contratos de patrocínio apenas para o duelo, como fez neste sábado contra o Estudiantes. Ford, Vivo e Locaweb apareceram na camisa."É uma estratégia diferente e pode se repetir no primeiro jogo do Paulista se até lá não fecharmos o patrocínio anual", admitiu Caio Campos, do marketing. Das três empresas citadas, o clube levou cerca de R$ 600 mil. Somando o que a TV Globo pagou e os anunciantes de placa de publicidade, o valor chegou a R$ 1,5 milhão, sendo que R$ 450 mil foram para o Estudiantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.