Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Presidente do Atlético-MG descarta contratar Tardelli: 'É asilo?'

Sette Câmara reage com ironia ao ser questionado por torcedor dentro de avião

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2020 | 16h40

O presidente do Atlético Mineiro, Sérgio Sette Câmara, descartou a possibilidade de o clube se reforçar para a temporada 2020 com Diego Tardelli. Ídolo da história recente da equipe, o atacante está livre no mercado após rescindir seu contrato com o Grêmio. Mas o fato de ser um veterano - está com 34 anos - o deixa fora dos planos da diretoria.

Foi o que indicou o dirigente ao responder a um questionamento de um torcedor dentro de um avião. Sette Câmara, inclusive, adota um tom jocoso ao rejeitar a chance de o Atlético-MG tentar a contratação de Tardelli. "Tardelli? A gente é asilo aqui agora, é? Jogador de 36 anos (são 34 anos)!", responde o dirigente em vídeo que circula nas redes sociais.

A recusa a Tardelli indica uma nova política adotada pela gestão do clube no mercado. O comando do Atlético-MG tem buscado rejuvenescer o elenco em 2020, com as saídas de alguns veteranos, como Elias e Leonardo Silva, que se aposentou dos gramados, e a contratação de jovens, como Dylan Borrero, Allan e Maílton.

O desejo do torcedor atleticano de contar com Tardelli no elenco se deve ao seu histórico no clube. Afinal, o atacante teve duas passagens de sucesso, com 110 gols marcados em 219 jogos, além das conquistas da Libertadores de 2013, da Copa do Brasil de 2014, da Recopa Sul-Americana de 2014 e das edições de 2010 e 2013 do Campeonato Mineiro.

Tardelli chegou ao Grêmio em fevereiro de 2019 com contrato até o fim de 2021, que foi rescindido em 16 de janeiro. Isso ocorreu porque ele teve passagem apagada, demorou a se adaptar, foi reserva nos primeiros meses e só no fim do ano conseguiu adquirir status de titular. No total, disputou 47 jogos, com sete gols marcados. Segue com futuro incerto e, pelo que tudo indica, não será no Atlético-MG.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.