Presidente do Atlético-MG recebe carta com ameaças

O presidente do Atlético Mineiro, Luiz Otávio Ziza Mota Valadares, apresentou, nesta quarta-feira, uma carta anônima, que exige sua renúncia do cargo até sexta. Apesar das ameaças a sua família, o dirigente afirmou, em nota oficial, que não vai se desligar do clube."Há algumas semanas estou vigiando sua casa durante todo o dia. Sei dos seus horários, da sua esposa Vânia, dos seus filhos... Não sou um amador. Estudei todos os passos da sua família e agora estou te dando um recado: Você tem até sexta-feira, dia 22/08/2008, para renunciar do cargo de presidente do Clube Atlético Mineiro ou começarei a machucar as pessoas que você mais gosta", ameaçou a carta."Vou fazer com sua família a mesma coisa que você está fazendo com a torcida atleticana. Ziza, desta vez não é brincadeira. Não pague para ver", apontou o autor anônimo.Além do presidente, a carta pede a renúncia do assessor Hissa Elias Moisés e do diretor de futebol do clube, Alexandre Faria. "Não se esqueça que devem se desligar também o Hissa Elias Moisés e o Alexandre Faria. Caso você não entenda esse recado e decida seguir em frente, você conhecerá o que é viver um INFERNO (sic)".O presidente, no entanto, não pretende renunciar ao cargo, que acaba em dezembro de 2009. "Reafirmo: vou cumprir integralmente o meu mandato", afirmou Ziza. "Como homem de longa vida pública, sempre tive a paciência e a sensatez de respeitar opiniões contrárias. Até mesmo de sofrer ameaças pessoais. No entanto, ao transferir as ameaças à minha família, não posso permanecer calado".Ziza já informou as autoridades sobre o episódio. "Já levei o conhecimento do fato, de forma pessoal, às autoridades, entre elas o Governador do Estado, o Secretário de Estado de Defesa Social, o Procurador-Geral do Estado e o Comandante-Geral da Polícia Militar. Foram receptivos, estão atentos e tomando as providências necessárias".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.