Presidente do Barça diz que patrocínio no uniforme é necessidade

BARCELONA - O presidente do Barcelona, Sandro Rosell, insistiu nesta segunda-feira que o contrato de patrocínio da camisa com a Catar Foundation, por um total de 165 milhões de euros (R$ 377 milhões) em seis temporadas, foi motivado pela delicada situação econômica da entidade.

Efe

13 de dezembro de 2010 | 19h24

"Este acordo é uma necessidade do clube. A parte financeira está pior do que imaginávamos. Achamos que a melhor maneira era conseguir que a camisa tivesse esta aparência solidária", disse Rosell durante a apresentação do acordo.

Rosell admitiu que está "muito satisfeito" e "feliz" pelo "maior contrato de patrocínio da história do futebol e, seguramente, do esporte".

A Unicef continuará recebendo uma contribuição econômica do clube e o logotipo da entidade seguirá estampado na camisa do time de Messi.

"Os membros têm que entender que o Barça, com este acordo, ficará um pouco mais forte", disse Rosell, que informou que a injeção econômica "servirá para tapar a dívida" do clube, estimada em uns 430 milhões de euros (R$ 982 milhões).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBarcelonapatrocíniocamisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.