Lluis Gene/AFP
Lluis Gene/AFP

Presidente do Barça sugere complô do Real Madrid em caso Neymar

Josep Bartomeu indica que rival tem participação por interesses políticos e pela inveja por não tem conseguido contratar o atacante

Estadão Conteúdo

04 de fevereiro de 2015 | 12h33

Depois de ser apontado como suspeito em um caso de fraude fiscal sobre a contratação de Neymar, o presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, disse que o clube é vítima de um "ataque" envolvendo o rival Real Madrid e o Estado espanhol. Bartomeu declarou em uma entrevista para uma TV da Catalunha que "tudo isso vem de alguém que não queria que (Neymar) viesse para o Barça".

"Tudo que fizemos foi trazer um jogador como Neymar (ao clube). O Barça, seus executivos, seus empregados e seus diretores não fizeram nada de errado", disse Bartomeu. "O pai de Neymar disse que tinha uma oferta melhor do Madrid, e isso não desceu muito bem". 

Bartomeu acrescentou que a investigação, que começou com a Corte Nacional espanhola, através do juiz Pablo Ruz, investigando se o ex-presidente Sandro Rosell desviou fundos para esconder o valor pago para contratar Neymar, também foi motivado pelas ligações do Barcelona com o movimento de independência da região da Catalunha. 

"Eu não tenho nenhuma prova, mas existem fatos", disse. "No último ano permitimos que o estádio fosse utilizado para o ''Freedom Concert'', e nós disputamos um jogo usando a bandeira catalã. A marcha pela independência da Catalunha passou pelo Camp Nou e isso talvez não tenha agradado a todos. Estou convencido de que há certos poderes do Estado que não estão felizes que Neymar chegou ao Barça". 

Na última terça-feira, Ruz disse que iria investigar se Bartomeu, como o presidente do clube, fraudou o Fisco da Espanha em 2,8 milhões de euros (aproximadamente R$ 8,7 ,milhões) em 2014. O procurador José Perals disse que os impostos não pagos pelo Barcelona, incluindo o montante atribuído a Bartomeu, superou os 12 milhões de euros (mais de R$ 37 milhões).

Bartomeu insiste que o valor pago pelo Barcelona para contratar Neymar em 2013, quando o brasileiro atuava pelo Santos, foi de 57 milhões de euros (R$ 178 milhões). "Nós dissemos que a contratação custou 57 milhões de euros e mantemos esse valor", disse o dirigente. "Há alguns contratos que o Barça interpreta de uma maneira, e o órgão jurisdicional de outro, e é onde está a diferença". 

O presidente do Barcelona está convocado a comparecer perante um tribunal em Madri no dia 13 de fevereiro. Neymar, que completa 23 anos nesta quinta-feira, vem tendo uma excelente segunda temporada pelo clube catalão. Ele é o vice-artilheiro da equipe, atrás de Lionel Messi, com 22 gols marcados em 26 partidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.