Javier Lizón/EFE
Javier Lizón/EFE

Presidente do Barça volta a negar fraude na contratação de Neymar

Josep Bartomeu disse à Justiça, nesta sexta, que nem ele e nem o clube cometeram intencionalmente fraude fiscal na negociação

REUTERS

13 de fevereiro de 2015 | 15h34

O presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, reiterou em uma audiência no tribunal nesta sexta-feira que nem ele nem o clube cometeram intencionalmente fraude fiscal na contratação de Neymar.

Bartomeu era vice-presidente e Sandro Rosell, o presidente, quando o atacante foi contratado, em 2013, do Santos. O dirigente e o clube foram acusados de fraudar o fisco em 2,8 milhões de euros em 2014.

Rosell, que também negou irregularidades, renunciou ao cargo devido a alegações de que o clube não pagou vários milhões em impostos devidos em 2011, 2012 e 2013, dizendo que queria proteger a imagem do clube.

"No depoimento prestado diante do juiz Pablo Ruz, o presidente Bartomeu deu explicações a todos sobre o que foi questionado", disse o Barça em seu site.

"Em particular, ele defendeu as decisões tomadas, sempre em consulta com os assessores financeiros do clube. Ele deixou claro que nunca foi sua intenção, nem a de executivos do clube, fraudar o instituto nacional de impostos."

A acusação ao Barça foi feita depois que um integrante do clube questionou os números apresentados na negociação de Neymar. O Barcelona disse inicialmente que pagou 57 milhões de euros, porém mais tarde admitiu que o custo era mais próximo de 100 milhões de euros. 

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolBarcelonaNeymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.