REUTERS/Albert Gea
REUTERS/Albert Gea

Presidente do Barcelona aponta Dembélé fora dos planos do clube: 'É difícil de entender'

Atacante francês não saiu do Barça na última janela de negociação e nem aceitou propostas para renovar contrato

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2022 | 13h40

Ousmane Dembélé não deverá atuar mais pelo Barcelona. Pelo menos foi esta a impressão deixada por Joan Laporta, presidente do clube catalão, nesta terça-feira, em entrevista coletiva. O dirigente ficou contrariado com o fato de o atacante não ter saído até o final da última janela de negociação e ter recusado propostas para renovar o contrato. O dirigente sugeriu que o jogador já teria acordo com outro clube.

"Não quis aceitar nenhuma das propostas que lhe oferecemos. A situação não é boa nem para ele nem para o clube. A renovação daria margem salarial, mas não entendemos o seu posicionamento. Pensamos que tem um acordo com outro clube e assim atuaremos de acordo com os nossos interesses", disse Laporta, confirmando o cenário de que até junho, quando termina contrato, Dembélé não vai jogar.

No Barcelona desde 2017, Dembélé custou 105 milhões de euros. Ele soma 120 jogos e 32 gols pelo clube espanhol. O jogador ficou marcado por seguidas faltas e atrasos nos treinos, que foram constantes em toda a sua passagem no clube. Já em 2018 foi cobrado internamente e até teve seu comportamento orientado por atletas mais experientes, como o atacante Luis Suárez

"Ficamos surpresos, ainda mais com a última proposta por ele, de um clube inglês. Ele não quis ir, preferiu ficar aqui esses seis meses. É difícil de entender. O temos no elenco, e Xavi trabalha a curto e médio prazo. Se será um jogador que não continuará, ele me dirá", afirmou Laporta.

Durante a entrevista, Laporta também falou da situação financeira do clube e dos problemas adquiridos na gestão passada. Segundo o dirigente, pagamentos de comissões acima do mercado para intermediários, negociações de jogadores através de trocas disfarçadas em balanços e falsificação de documentos foram algumas das práticas irregulares realizadas no período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.