Juan Mabromata/ AFP
Juan Mabromata/ AFP

Presidente do Boca diz que 'não gastou um euro' na volta de Tevez

Juventus receberá preferência na compra de três jogadores da base

O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2015 | 17h16

Depois de confirmar o retorno de Carlos Tevez, o presidente xeneize Daniel Angelici informou que, "do Boca Juniors, não saiu nenhum euro" para a transferência. A declaração do mandatário foi em entrevista ao jornal argentino Olé, nesta sexta-feira. 

Angelici também disse que "a Juventus impôs um valor sobre o jogador e cobrimos essa cotação com a porcentagem e a opção de compra de algumas promessas." Em troca do "Apache" os italianos terão 50% dos direitos do meio ofensivo Guido Vadalá, de 18 anos, e o receberão por empréstimo para as duas próximas temporadas. Além disso, a Velha Senhora terá preferência na aquisição de outros jogadores da base boquense. 

O periódico italiano Tuttosport relata que os outros dois atletas que a Juve terá vantagem na aquisição são o atacante Cristian Pavón e o meia Franco Cristaldo, ambos nascidos em 1996. 

Há algumas semanas, Giuseppe Marotta, CEO e Gerente de Geral da Área de Esportes da Juventus, afirmou ao Olé que, "um jogador é um homem antes de tudo e temos de respeitar os aspectos humanos. Carlos [Tevez] tem expressado a vontade de acabar sua gloriosa carreira na Argentina. Temos dado a possibilidade de liberá-lo gratuitamente se o destino for sua casa, não a de outros clubes europeus."

Entretanto, nos últimos dias surgiu a informação de que, mais do que os direitos sobre três jogadores da base, o dirigente italiano fechou a saída de Tevez por 5 milhões de euros (R$ 17,4 milhões).

Assim como adiantado pelo secretário-geral Cesar Martucci na última quarta-feira, Daniel Angelici confirmou que a apresentação de Tevez deverá acontecer no estádio La Bombonera entre os dias 6 e 7 de julho, após o término da participação da seleção argentina na Copa América

Em sua estreia pelo Boca, em 2001, Tevez usou a camisa 18. Porém, se tornou ídolo da torcida xeneize com a 10, e o mandatário garante que fará um esforço para que ele volte a usá-la. "Todos os 'hinchas' querem vê-lo com a camisa histórica que usou em sua primeira passagem no clube. Mas creio que pelo regulamento não podemos trocar a numeração durante o recesso. De toda maneira, solicitaremos uma exceção e faremos um pedido para ver se podemos mudar." Atualmente o também ex-corintiano Nicolás Lodeiro veste a camisa 10, que também já foi de Diego Maradona e Juan Roman Riquelme. 

"Faz muito bem ao futebol argentino a volta de Tevez em sua melhor forma porque pode dar muitas alegrias dentro de campo. Seguramente ele estará pronto para a partida entre Boca e Quilmes, na segunda rodada após o recesso, na Bombonera", completou Daniel Angelici. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.