Presidente do Cagliari é preso em investigação de arena

O presidente do Cagliari, Massimo Cellino, foi preso nesta quinta-feira acusado de peculato e fraude durante a construção da Is Arena, estádio onde o clube vinha mandando seus jogos nesta temporada. Além dele, duas pessoas foram detidas durante o dia na investigação: o prefeito do distrito de Quartu, onde o estádio está localizado, Mauro Contini, e o responsável local pelas obras públicas, Stefano Lilliu.

AE-AP, Agência Estado

14 de fevereiro de 2013 | 11h33

A Is Arena foi inaugurada nesta temporada, mas trouxe diversos problemas ao Cagliari. Antes de Cellino, Lilliu e Contini, outras três pessoas haviam sido presas em novembro do ano passado em meio à investigação pela construção do estádio. Elas permanecem em prisão domiciliar.

Apesar disso, o Cagliari, através de seu site oficial, manifestou apoio ao presidente. "Diretores, funcionários, comissão técnica e jogadores apoiam o presidente Massimo Cellino nestes tempos difíceis. Estamos confiantes que a investigação vai mostrar a inocência do presidente diante das acusações", apontou o clube em comunicado.

A inauguração da Is Arena, diante da Atalanta, no ano passado, aconteceu com portões fechados por conta de falta de segurança no local. No confronto seguinte, diante da Roma, Massimo Cellino convocou a torcida para comparecer ao estádio mesmo sem a liberação da polícia, o que resultou no cancelamento da partida e o time romano foi proclamado vencedor por 3 a 0.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCagliariMassimo Cellino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.