Ueslei Marcelino|Reuters - 18|6|2014
Ueslei Marcelino|Reuters - 18|6|2014

Presidente do Corinthians explica agradecimento a Drogba: 'Ele ficou satisfeito pelo convite'

Roberto de Andrade nega menosprezo do atacante em negociação

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2017 | 07h01

Após muita polêmica e longas negociações, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, explicou os motivos do clube ter divulgado uma nota de agradecimento pela negociação com o atacante Didier Drogba e ainda assegurou que as conversas não tiveram intermediários, como foi noticiado.

De acordo com o dirigente, ele decidiu divulgar uma nota agradecimento ao jogador pela forma com que ele se comportou durante a negociação, sem nunca menosprezar o clube. “Ele ficou muito satisfeito com o convite. Quando conversei a primeira vez, há duas semanas, ele ficou de analisar. Voltamos a nos falar na semana passada com números e valores, e ele disse que iria consultar a família porque tinha outros projetos. Na terça-feira conversamos por telefone e ele me disse que ia seguir outro caminho que não o Brasil, mas que ficou contente pelo convite”, disse Andrade, em entrevista ao canal Esporte Interativo.

“Ele sabe o tamanho do Corinthians e sentiu isso. Hoje, nada mais é surpresa com as redes sociais. E ele não nos menosprezou. Fizemos um agradecimento pelas conversas e pela forma que nos tratou, sempre com muita educação”, explicou o presidente.

Roberto de Andrade negou ainda que tivesse falado com algum representante do atleta, embora a proposta oficial tenha sido enviada para os agentes Gildas Samba e Franck Assunção. “Não teve intermediário, as pessoas saem falando, mas quem tratou do assunto fui eu. Gostei da ideia, fomos atrás e não deu (...) Nunca foi conversado nada com esse empresário. A pessoa da Inglaterra com quem falamos pediu que fizéssemos esse papel timbrado informando essas pessoas, porque ele não tem só um representante, tem alguns. Nosso contato foi direto com o jogador”, contou.

Roberto de Andrade ainda assegurou que em momento algum, autorizou que intermediários conversassem com o atacante. “As pessoas gostam de comentar sem ter conhecimento. Primeiro se falou que não sei quem estava em Londres (Gustavo Herbetta, ex-superintendente de marketing do clube), o que não era verdade. O torcedor vai se alimentando e acha que o Corinthians errou”, assegurou.

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Corinthians Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.