Washington Alves/ Divulgação
Washington Alves/ Divulgação

Presidente do Cruzeiro mantém M. Oliveira e não fará trocas no time

'Não vou me deixar levar por um resultado negativo', diz Gilvan

Estadão Conteúdo

29 de maio de 2015 | 19h09

Dois dias após a dolorosa queda do Cruzeiro na Copa Libertadores, o presidente Gilvan Tavares veio a público nesta sexta-feira para garantir a permanência do técnico Marcelo Oliveira e descartas mudanças radicais no elenco cruzeirense. "Não vou me deixar levar por um resultado negativo", afirmou o dirigente.

"Quando o clube ganha, enaltece o time. Quando perde, o time, a diretoria e a comissão técnica não valem nada. Não vou me deixar abalar por uma derrota, que nos entristeceu bastante", disse Tavares, ao descartar uma troca na comissão técnica. "Não aceito dizer que o elenco e a comissão técnica não prestam."

O presidente demonstrou confiança no trabalho que vem sendo realizado por Marcelo, atual bicampeão brasileiro. E negou que tenha sondado o técnico Vanderlei Luxemburgo, demitido pelo Flamengo nesta semana. "É a maior mentira. Nunca procurei o Vanderlei. Não sei como colocam isso na imprensa", reclamou.

Gilvan ainda defendeu o atual elenco cruzeirense, questionado por parte da torcida e da imprensa. "Andaram dizendo que contratamos errado. É um absurdo o que fazem depois da derrota para criar uma crise. Não vão criar crise. Esse plantel é bom e mostrou isso. Ganhamos do São Paulo nas oitavas de final. Ganhamos do River na Argentina e jogamos um bom futebol", disse, se referindo aos resultados na Libertadores.

Apesar destas boas vitórias, o Cruzeiro acabou sucumbindo diante do próprio River, nesta quarta, no jogo da volta. Perdeu por 3 a 0, no Mineirão, e foi eliminado nas quartas de final. O resultado, aliado à fraca campanha da equipe neste início de Brasileirão, causou preocupação na torcida.

Para tentar acalmar as arquibancadas, o presidente cruzeirense revelou que ainda pretende fazer contratações pontuais para o restante da temporada. "Não vamos deixar de correr atrás de um ou dois jogadores, porque sabemos que precisamos melhorar esse time", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.