Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Presidente do Cruzeiro se mostra arrependido em ter apoiado novo mandatário

Wagner Pires de Sá assume o clube mineiro em janeiro de 2018

Estadão Conteúdo

01 de dezembro de 2017 | 20h46

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, concedeu nesta sexta-feira uma entrevista coletiva para fazer um balanço de seu mandato, que termina no final de dezembro, e também para se mostrar arrependido em ter apoiado o novo mandatário, Wagner Pires de Sá, que assume em janeiro de 2018.

+ Murilo pede para jogar, mas Cruzeiro pode ter reservas

"Nunca tive tanta decepção na vida quanto nesse final do campeonato. Decepção com pessoas", comentou. E na sequência citou o caso do futuro presidente, que em setembro foi parado por uma viatura policial por dirigir com sinais de embriaguez. Na época, o dirigente disse ter sido vítima de armação.

"Achei um absurdo armarem uma coisa dessa. Mas fiquei muito mais chocado agora, que filmaram, me mandaram fotos desse atual presidente que apoiamos, sentado, confraternizando com esse vereador que ele acusou ter armado para ele. Eles me disseram, inclusive, que ele havia colocado esse vereador na chapa dele para o Conselho. Não sei conviver com esse tipo de coisa. Por isso me vi obrigado a me afastar de quem apoiei".

O dirigente também rebateu acusações da oposição sobre a dívida do clube. O Cruzeiro hoje tem um passivo de mais de R$ 300 milhões e processos na Fifa que giram em torno de R$ 50 milhões. "É verdade, existem essas reclamações. O Cruzeiro contratou um advogado importante na área. O que posso dizer é que não existe nada daquilo que foi alegado, como por exemplo, que o Cruzeiro poderia ser rebaixado", informou.

DESPEDIDA DO BRASILEIRÃO

 O técnico Mano Menezes também falou nesta sexta-feira e garantiu mandar o Cruzeiro a campo com força máxima para o duelo contra o Botafogo neste domingo, às 17 horas, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 38.ª e última rodada do Campeonato Brasileiro.

O time celeste já não tem mais pretensões na competição, pois está livre do rebaixamento e garantido na Copa Libertadores por conta do título da Copa do Brasil. Mesmo assim o treinador informou que colocará os titulares em campo em respeito aos outros clubes. O Botafogo briga por uma vaga na competição continental.

"Não seria coerente dispensar uns e não outros. Gosto de seguir uma linha de coerência. Sei que tem muitos jogadores que jogaram bastante jogos. Mas estamos inteiros. Teremos 30 dias de férias para descansar e tenho certeza que eles vão querer disputar jogos festivos também durante as férias", comentou Mano Menezes.

A novidade na equipe pode ser a presença do jovem lateral-direito Vitinho, de 18 anos, já que os outros dois jogadores da posição, Galhardo e Ezequiel, estão machucados. Quem também pode aparecer no time é o zagueiro Danilo, recuperado de lesão. Ele deve ser o substituto de Léo, suspenso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.