Arquivo/AE
Arquivo/AE

Presidente do Fla consegue efeito suspensivo no STJD

Márcio Braga havia feito acusações a membros do TJD-RJ e defendido o rival Vasco em julgamento

AE, Agencia Estado

23 de março de 2009 | 20h25

O presidente do Flamengo está livre para voltar a exercer o mandato em sua plenitude. Nesta segunda-feira, Márcio Braga conseguiu efeito suspensivo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que lhe dá o direito de continuar dirigindo o clube carioca enquanto aguarda novo julgamento, agora na instância máxima do órgão. O dirigente havia sido punido por quatro anos, tendo que permanecer afastado de seu cargo neste período.

Veja também:

tabela Classificação / Calendário / Resultados

linkParreira diz que não existe dependência de Fred no Flu

linkMaicosuel pode desfalcar Botafogo contra Americano

linkTorcedor do Flamengo baleado segue em estado grave

linkDorival Júnior tenta conter euforia no Vasco

linkVasco coloca em dia salários do futebol profissional

A punição a Márcio Braga foi motivada pelas declarações do dirigente quando do julgamento do Vasco no TJD do Rio. Após ser confirmada a perda de seis pontos do clube vascaíno pela escalação irregular do meia Jéferson na primeira rodada do Campeonato Carioca, o dirigente do Flamengo acusou membros do TJD de "corrupção" e ainda criticou o Fluminense, que denunciou a irregularidade.

Pelas declarações, Márcio Braga foi denunciado em quatro artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que resultaram na pena total de quatro anos. Agora, o presidente do Flamengo depende de sua saúda para voltar em breve ao cargo, já que foi operado recentemente por problemas no coração.

CUCA AMEAÇADO 

Se Márcio Braga está livre para exercer o seu cargo, o técnico Cuca deve ser o próximo a ficar na berlinda do TJD. Ao ser expulso no clássico deste domingo contra o Vasco, no qual o Flamengo perdeu por 2 a 0, o treinador ofendeu o árbitro Luís Antonio Silva Santos com xingamentos, fato relatado pelo juiz na súmula do jogo. Desta maneira, Cuca deve ser denunciado em pelo menos dois artigos do CBJD, que podem resultar numa suspensão de até um ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.