Presidente do Fla pede habeas corpus

O presidente do Flamengo, Edmundo Santos Silva, encaminhou nesta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus com pedido de liminar para garantir que ele não será levado pela Polícia Federal a depor coercitivamente na CPI do Futebol, do Senado. Edmundo também quer que seu advogado possa acompanhá-lo no depoimento. O presidente do Flamengo disse que não pode comparecer à CPI porque estava "impossibilitado por compromissos anteriormente assumidos".Edmundo também citou notícia veiculada pela imprensa no último dia 10 (data marcada para o depoimento) segundo a qual a Polícia Federal procuraria por ele na sede do clube, em suas empresas e em sua casa para obriga-lo a depor.Segundo o presidente do Flamengo, a "ordem da CPI à Polícia Federal para que busque o paciente em seu trabalho ou lar para obrigá-lo a depor significa violência e coação incabíveis". Ele acrescentou que a ausência no depoimento foi previamente justificada à CPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.