Presidente do Fla sofre impeachment

O presidente do Flamengo, Edmundo Santos Silva, sofreu impeachment. Em votação que só acabou na madrugada desta terça-feira, na sede do clube, no Rio, 530 conselheiros votaram contra a permanência do dirigente no cargo, enquanto 26 foram a favor - ainda houveram 7 votos brancos e 5 nulos. O presidente do Conselho Deliberativo, Gilberto Cardoso, assumiu interinamente o cargo até que sejam convocadas eleições, mas Edmundo Santos Silva deve entrar com um recurso, nos próximos dias, que o recolocaria na presidência.Investigado pelas CPIs da Câmara e do Senado, Edmundo Santos Silva é acusado de desvio de dinheiro e fraude contábil na administração do Flamengo. Seus opositores denunciam irregularidades na transação de jogadores, como no caso de Petkovic, e também no contrato com a ISL.Depois de muita confusão e bate-boca antes do começo da sessão, um recurso da oposição possibilitou que fosse votado o impeachment de Edmundo Santos Silva. Para começar a votação seria necessária a presença de um terço dos conselheiros na sessão - 568. Até a chamada final haviam comparecido 560, mas o conselheiro Roberto Abranches apresentou nomes de 110 membros já falecidos e que ainda constavam da lista total de 1.703. Diante disso, o presidente do Conselho Deliberativo, Gilberto Cardoso, deu início à votação. E determinou que Roberto Abranches comprovasse em 10 dias que pelos menos 24 dos nomes apresentados por ele realmente não fazem mais parte do quadro de conselheiros do clube. Caso contrário, a votação desta segunda-feira poderia ser anulada. Mas, assim que acabou a votação, a oposição a Edmundo Santos Silva apresentou uma lista confirmando a morte de 27 conselheiros. Gilberto Cardoso resolveu aceitar o documento e validou todo o processo. Só que a confusão não terminou aí.Com Edmundo Santos Silva impedido de ocupar a presidência, seu substituto imediato seria o vice, Júlio Lopes. Mas ele tinha sido cassado na semana passada, acusado de usar o cargo para fazer sua campanha a deputado.Acontece que, terminada a votação, Júlio Lopes apresentou uma liminar que garantia sua permanência no cargo. Assim, ele seria o novo presidente do Flamengo. Mas, no discurso, Júlio Lopes renunciou ao cargo. Sobrou então para Gilberto Cardoso.Agora, Edmundo Santos Silva tem um prazo de 15 dias para entrar com um recurso - o que deve acontecer logo. Caso ele não entre com esse recurso, Gilberto Cardoso teria então 60 dias para marcar uma eleição para escolher o novo presidente do Flamengo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.