Presidente do Flamengo demite Andrade e Marcos Braz

A esperada demissão do técnico Andrade e do vice de Futebol Marcos Braz foi oficializada na tarde desta sexta-feira no Flamengo. Os dois foram comunicados da dispensa do time da Gávea pela presidente Patrícia Amorim. Quem também deixa o clube é o diretor Eduardo Manhães. Os substitutos serão definidos em breve. O único dirigente mantido é Isaías Tinoco, gerente de Futebol.

AE, Agência Estado

23 de abril de 2010 | 15h37

Para o cargo de técnico, o favorito é Joel Santana, campeão carioca pelo Botafogo, mas a negociação segue difícil porque o time de General Severiano quer mantê-lo. Outro nome cogitado é o de Abel Braga, que trabalha no futebol árabe e está ameaçado de demissão. O problema é que ele só poderia se apresentar em maio, o que deixaria o time sem um técnico efetivo para as partidas contra o Corinthians, pelas oitavas de final da Libertadores.

O vice presidente geral, Hélio Ferraz, acumulará o cargo que era de Marcos Braz até que seja definido o novo dirigente. A intenção de Patrícia Amorim é contratar um profissional para o cargo, e o nome dos sonhos é Leonardo, atual técnico do Milan.

A reestruturação no comando do futebol do Flamengo tem como intenção acabar com os vários problemas da equipe, especialmente com as confusões fora de campo. Só neste ano foram registrados problemas com Petkovic, Adriano e Vágner Love. Atual campeão brasileiro, o Flamengo falhou na tentativa de conquistar o tetracampeonato carioca e se classificou com dificuldades para as oitavas de final da Libertadores.

Andrade ficou quase um ano no comando do Flamengo, em sua sétima oportunidade no comando do time, considerando o período em que assumiu interinamente o cargo. Nesta última, comandou o time em 51 partidas, com 32 vitórias, dez empates e nove derrotas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.