Presidente do Flamengo sugere auditoria externa para arbitragem brasileira

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, propôs mudanças na arbitragem brasileira nesta sexta-feira. Perto do fim do Brasileirão, marcado por diversas reclamações de quase todos os clubes, o dirigente elaborou uma proposta que prevê auditoria externa da comissão de arbitragem da CBF.

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2015 | 18h12

"Se existe algo próximo da unanimidade em relação ao que precisa melhorar muito para o próximo Campeonato Brasileiro, trata-se da qualidade das arbitragens", afirmou Bandeira de Mello. "Em praticamente todas as rodadas do campeonato foram identificados erros gritantes dos árbitros, seguidos naturalmente pelo levantamento de suspeitas quanto à lisura nos critérios adotados nas partidas e nas escalações dos juízes."

A principal sugestão do presidente do Flamengo, que foi entregue ao secretário-geral da CBF, Walter Feldman, é contratar um serviço de auditoria externa para dar "credibilidade internacional" aos jogos do Brasileirão.

"O trabalho da comissão [de arbitragem] deve ser apreciado por uma empresa de auditoria com credibilidade internacional que será responsável pela definição dos critérios de avaliação e que também avaliará a conformidade do trabalho em relação aos critérios previamente definidos. Essa auditoria também avaliará se o órgão responsável pelas escalações de árbitros está se pautando pela classificação definida pela comissão de avaliação", explicou Bandeira de Mello.

O dirigente não deu maiores detalhes sobre sua proposta. Mas sugeriu um sistema de notas para avaliar a atuação dos árbitros em cada partida. "É mandatório que as partidas do campeonato sejam objeto de uma avaliação externa criteriosa e minuciosa abrangendo todas as suas decisões durante os 90 minutos de jogo e que a cada árbitro seja atribuída uma nota por partida".

"Essa avaliação deve ser realizada por uma comissão totalmente independente do órgão responsável pelas escalações dos árbitros e seus critérios devem ser previamente definidos", explicou.

A média dos árbitros se tornariam decisivas para a escalação de cada um deles nas rodadas do Brasileirão. "As escalações dos árbitros deverão necessariamente ser pautadas pelo rating dos árbitros definido pelo conjunto das suas avaliações", sugeriu. A CBF ainda não se manifestou sobre a proposta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.