Presidente do Getafe chama Abbondanzieri de 'egoísta'

Angel Torres, presidente do Getafe, demonstrou nesta terça-feira que perdeu a paciência com o goleiro argentino Roberto "Pato" Abbondanzieri. O dirigente do clube espanhol chamou o jogador de "egoísta", por tentar forçar seu retorno ao Boca Juniors. Além disso, negou que tenha feito um acordo para ceder o goleiro, como afirmou Abbondanzieri."Não há nenhum acordo. Se eles não venderem um jogador, não podem comprar. Demos um prazo para que vendessem, mas não houve resposta", disse Torres, enfatizando que o impasse não se dá pelo valor da negociação, mas sim porque o clube argentino não tem dinheiro. "O problema não é a quantidade porque o Boca Juniors não tem um centavo. Se chegar o dinheiro, conversaremos."Segundo Abbondanzieri, de 36 anos, o Getafe teria aceitado negociá-lo com o Boca por 300 mil euros (R$ 918 mil), mas depois voltou atrás e exigiu 400 mil euros (R$ 1,2 milhão). Torres, porém, nega o fato. "Na Argentina dizem que chegamos a um acordo e que agora não queremos cumprir. Isso não é verdade. Nenhum dirigente do Boca se comunicou com a gente nos últimos dez dias", afirmou o presidente do clube espanhol."O Pato se transformou em um egoísta. Ele quer renovar e nos pressiona com a venda ao Boca", afirmou Torres. Para o dirigente do Getafe, Abbondanzieri tem que pedir desculpas pela sua atitude, e, se não o fizer, só deixará a Espanha quando vence o seu contrato, em junho. Segundo Torres, o goleiro já foi vaiado pela torcida na última partida do Getafe em casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.