Guarani/Divulgação
Guarani/Divulgação

Presidente do Guarani cobra reação na Série B e ameaça com dispensas

Palmeron Mendes Filho deu coletiva de imprensa como maneira de aliviar pressão sobre ele pelos maus resultados

Redação, Estadão Conteúdo

24 de julho de 2019 | 21h03

Apontado por muitos torcedores e conselheiros como principal responsável pela péssima campanha do Guarani - lanterna com seis pontos - no Campeonato Brasileiro da Série B, o presidente Palmeron Mendes Filho disparou para todos os lados nesta quarta-feira. Parece ter sido uma maneira de aliviar a pressão sobre ele.

Na reapresentação dos jogadores, o mandatário se reuniu com o elenco, a comissão técnica e os responsáveis pelo departamento de futebol - Fumagalli, Marcus Vinícius e Gabriel Remédio - no vestiário do Brinco de Ouro. As cobranças foram fortes, até com ameaça de dispensas.

"Hoje foi uma coletiva não programada por causa do jogo horrível de ontem (derrota para o Cuiabá, por 1 a 0, em Campinas). Reunimos todo o elenco para uma cobrança mais forte. É inconcebível o Guarani na lanterna com o investimento que foi feito e salários em dia. Isso vai mudar a partir de hoje. Os atletas que não tiverem comprometimento vão embora. Vai ficar quem quer reverter a situação do clube", afirmou o presidente.

Mendes Filho lembrou as mudanças que foram feitas no elenco com o campeonato em andamento e disse que, se preciso for, o Guarani vai disputar o clássico marcado para 10 de agosto, contra a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, com o time Sub-20.

Sobrou até para Roberto Fonseca. Terceiro treinador do Guarani na temporada, ele chegou durante a pausa para a Copa América e ainda não venceu em partidas oficiais: perdeu para CRB e Cuiabá, e empatou sem gols com o Botafogo-SP. Palmeron palpitou no esquema tático e pediu um maior aproveitamento dos jogadores das divisões de base.

"Na minha forma de pensar, não se joga com três atacantes e não se faz gol. O Guarani tem que começar a fortalecer a defesa. Nós tomamos contra-ataque de todo mundo. É muito bonita a filosofia de jogar aberto, mas não chuta uma bola no gol. Para que três atacantes? Roberto está consciente disso, não partiu do presidente. Ele sabe da nossa necessidade", concluiu Palmeron.

A campanha na Série B realmente é pífia. Sem ganhar há oito jogos e com apenas uma vitória nas primeiras 11 rodadas, amarga a lanterna, com seis pontos, cinco a menos que o Vila Nova (11), primeiro fora da zona de rebaixamento.

Na sexta-feira, o Guarani faz um confronto direto contra o São Bento, às 20h30, no Brinco de Ouro, na abertura da 12.ª rodada. O time de Sorocaba também está na zona de rebaixamento, em 17.º lugar, com nove pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.