Presidente do Inter reclama de proposta baixa e mantém Aránguiz no Beira-Rio

Se depender do Inter, o volante chileno Charles Aránguiz vai mesmo seguir no sul do País - ao menos por enquanto. A garantia é do presidente colorado, Vitorio Piffero, que afirmou haver "uma diferença muito grande" entre as propostas apresentadas ao jogador e ao clube.

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

04 de agosto de 2015 | 14h57

Aránguiz já declarou publicamente seu desejo de ir atuar na Europa. Ele recebeu uma proposta salarial que considerou muito boa do Bayer Leverkusen, da Alemanha, e outra inferior do Leicester City, da Inglaterra. O problema é que os ingleses estão dispostos a pagar ao Inter 15 milhões de euros (R$ 57 milhões) pelos direitos federativos do jogador, diante de apenas 10 milhões de euros (R$ 38 milhões) oferecidos pelos alemães.

"Determinei que ele (Aránguiz) voltasse aos treinamentos, porque tem uma diferença muito grande entre as propostas - uma que o Internacional aceitou e ele não aceitou, e outra que ele aceitou e nós não. Nesse caso, fica no Beira-Rio", sentenciou o presidente do clube gaúcho, Vitorio Piffero.

O dirigente gaúcho ainda descartou a possibilidade de o chileno jogar desmotivado no Internacional devido ao seu desejo de ir jogar na Europa. "Acho que um jogador de futebol, quando chega no estágio do Charles Aránguiz, jogador de seleção, do Internacional, não pode ficar desmotivado. Desmotivados têm que ficar os jogadores que estão sem time, que eventualmente quebram uma perna, que aí tem que buscar motivação. Agora, jogador de time grande, desmotivado, eu não acredito."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.