Divulgação/Site Oficial
Divulgação/Site Oficial

Presidente do Paraná explica que Lisca foi demitido após agredir auxiliar

Leonardo Oliveira pede que 'clube não seja exposto' em meio a polêmica sobre escalação da equipe na Primeira Liga

Estadao Conteudo

03 de setembro de 2017 | 11h30

O presidente do Paraná, Leonardo Oliveira, explicou após a derrota para o Atlético Mineiro no sábado, por 1 a 0, pela semifinal da Copa da Primeira Liga, as razões da surpreendente demissão do técnico Luiz Carlos de Lorenzi, o Lisca.

E, segundo Oliveira, o treinador teria agredido um membro da comissão técnica. "Chegou a acontecer a agressão. Isto é o que resume o fato. Mas não devemos expor o Paraná, porque isto só vai prejudicar todo o trabalho que vem sendo feito desde o início do ano", explicou o presidente.

"Uma relação de trabalho se encerra no exato momento em que acaba o respeito. Nós vivemos uma situação de falta de respeito à instituição, aos profissionais que dedicam sua vida à instituição. Isto não será tolerado", acrescentou Oliveira.

Embora o presidente não tenha confirmado, a briga teria sido com o auxiliar-técnico Matheus Costa e motivada, entre outras razões, pela escalação ou não de titulares na partida contra o Atlético Mineiro - Lisca queria poupá-los. O anúncio da demissão ocorreu horas antes do Paraná disputar a semifinal da Primeira Liga.

Lisca assumiu o Paraná em julho no lugar de Cristian de Souza. Com passagens por clubes como Ceará, Náutico e Internacional, onde não conseguiu evitar o rebaixamento na última temporada, ele obteve bons resultados na Série B e levou o time paranaense à quinta colocação, além da semifinal da Primeira Liga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.