Franck Fife|AFP
Franck Fife|AFP

Presidente do Real diz que ainda não conversou com Cristiano Ronaldo

Florentino Pérez pretende conversar com o atacante sobre possível saída após a Copa das Confederações

Estadão Conteúdo

19 de junho de 2017 | 20h50

Iniciando nesta segunda-feira mais um mandato à frente do Real Madrid, Florentino Pérez afirmou que ainda não conversou com Cristiano Ronaldo sobre os rumores que apontam a saída o atacante português antes do início da próxima temporada europeia. Ele estaria irritado com as acusações de fraude fiscal na Espanha.

"Eu ainda não conversei com Cristiano Ronaldo. O que sei li no jornal. Ele vai nos dizer o que está acontecendo. A única coisa que sei é que ele se sente maltratado pela imprensa", declarou Pérez, em entrevista à rádio espanhola Onda Cero, horas após ser aclamado para mais quatro anos na presidência do clube de Madri.

Os rumores sobre a saída de Cristiano Ronaldo começaram na semana passada, quando o jornal português A Bola publicou que o atacante estava considerando a possibilidade de deixar o futebol espanhol por causa das acusações de evasão fiscal, que totalizaria 14,7 milhões de euros (cerca de R$ 54 milhões).

"A história toda é muito estranha porque Cristiano Ronaldo é um cara muito legal, tanto como jogador quanto como pessoa. É por isso que vou falar com ele quando voltar e ver o que está acontecendo", declarou Pérez. O atacante está defendendo a seleção de Portugal na disputa da Copa das Confederações, na Rússia.

O presidente do Real Madrid garantiu não ter recebido nenhuma proposta pelo jogador, eleito o melhor do mundo do ano passado. O Paris Saint-Germain e o Manchester United, que já contou com o craque, estariam interessados no ídolo madrilenho. Cristiano Ronaldo renovou seu contrato com o Real em novembro do ano passado. Pelo acordo, ele tem vínculo com o Real até 2021.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolReal MadridCristiano Ronaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.