Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Presidente do Santos admite ingresso caro na Vila

'Gostaria de ver a Vila cheia, mas, infelizmente, o preço do ingresso e a chuva afastaram o torcedor'

Sanches Filho, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2010 | 17h31

O ingresso mais caro afastou o torcedor do clássico entre Santos e Corinthians, neste domingo, na Vila Belmiro. Até o encerramento do primeiro tempo, ainda é possível adquirir entradas, inteiras e meias, para todos os setores, nas bilheterias do estádio. Para os dirigentes, a chuva durante todo o dia atrapalhou a venda dos bilhetes.

 

Veja também:

linkSantos passa pelo Corinthians e amplia liderança no Paulistão

forum BLOG BATE-PRONTO - Neymar: futebol moleque ou irresponsabilidade?

"Gostaria de ver a Vila cheia, mas, infelizmente, o preço do ingresso e a chuva afastaram o torcedor", disse o presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro. "A sugestão para aumentar o valor das entradas foi do meu amigo Andrés Sanchez, presidente do Corinthians] e, se eu fosse torcedor, também chiaria, mas sou o presidente do Santos e tenho contas a pagar no fim do mês. O preço alto do ingresso acabou compensando o público menor".

Ao chegar à Vila Belmiro, pouco antes do início do clássico, o presidente corintiano confirmou ter sugerido a Luís Álvaro que reajustasse os preços dos ingressos, mas reconheceu que houve exagero. "Infelizmente, muitos torcedores vão ficar fora do estádio", lamentou o dirigente corintiano. "Como mandante, o Santos tem o direito de determinar o preço que quiser. Minha preocupação foi apenas pedir para que os ingressos destinados à nossa torcida não custassem mais caro, como aconteceu tempos atrás".

Um grupo de torcedores protestou contra o ingresso mais caro, exibindo uma faixa em frente à entrada da Rua Tiradentes com os dizeres "no circo do futebol, o torcedor é o palhaço", em alusão à declaração do presidente santista comparando o jogo deste domingo ao espetáculo do Cirque du Soleil.

Com o número menor torcedores do que o previsto, a Polícia Militar teve facilitado o trabalho dentro de fora do estádio. Em razão dos atos de violência ocorridos no fim da semana passada, com a morte de um torcedor, o esquema de segurança foi reforçado.

Às 7h, o policiamento de trânsito bloqueou oito pontos de acesso à Vila Belmiro, permitindo apenas a entrada de pessoas envolvidas no evento, residentes locais, torcedores com ingressos e sócios do clube. Os ônibus das torcidas organizadas foram monitoradas desde a saída, do Bom Retiro, até a chegada à Vila Belmiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.