Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Presidente do Santos dará depoimento em investigação de manipulação na eleição

José Carlos Peres acusa Modesto Roma Júnior, antigo mandatário, de fraude em pleito no alvinegro

Estadão Conteúdo

21 de março de 2018 | 18h58

O Santos informou nesta quarta-feira que seu presidente, José Carlos Peres, prestará depoimento na quinta para a investigação de uma suposta manipulação dos votos na eleição do clube. Ele é um dos acusadores na suspeita de fraude que beneficiaria o antigo mandatário, Modesto Roma Júnior.

+ Vitor Bueno alerta Santos sobre postura do Botafogo-SP: 'Jogo da vida deles'

O depoimento de José Carlos Peres acontecerá no 2º Distrito Policial da cidade de Santos. Além dele, Andres Rueda, também candidato à presidência naquela eleição e atual membro do comitê de gestão do clube, falará com os investigadores.

"Mais de três mil pessoas se associaram ao Santos Futebol Clube entre julho e novembro de 2016, últimos meses do prazo para poder votar nas eleições presidenciais do clube do ano seguinte. A situação foi alvo de denúncia pela imprensa antes do pleito ser realizado, o que motivou a adoção de medidas preventivas por parte dos então candidatos de oposição José Carlos Peres, Andres Rueda e Nabil Khaznadar, incluindo solicitação de extensa investigação por parte do Ministério Público, que culminou na investigação em andamento", explicou o Santos.

Os eleitores foram divididos por ordem de tempo de associação, sendo que os mais novos filiados eram colocados nas últimas urnas. Foram justamente estas - a de número 10 em Santos e 5 em São Paulo - que apontaram um resultado discrepante, com imensa maioria de votos para Modesto. A situação ampliou a suspeita já existente por parte de José Carlos Peres e Andres Rueda.

De acordo com a nota divulgada pelo Santos, "até estrangeiros que sequer falavam o português apareceram para votar e, quando indagados sobre o processo eleitoral, apenas indicavam a orientação que tinham recebido para seus votos". "A exposição pública da situação foi fundamental para expurgar os votos suspeitos, contribuindo para que a vontade dos santistas fosse efetivamente respeitada."

Apesar do suposto fraude, a vitória foi de José Carlos Peres, com 32,6% dos votos. "Embora a suspeita ação não tenha sido suficiente para interferir no resultado das eleições, as investigações continuaram e, agora, demonstram que vão alcançar os responsáveis por tentar ludibriar os santistas", apontou o clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.