Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Presidente do Santos detalha processo para a aprovação do projeto do novo estádio

Dirigente revelou 'negociações avançadas' com a construtora encarregada do projeto de construção da nova arena

Redação, Estadão Conteúdo

12 de abril de 2021 | 12h45

O presidente do Santos, Andres Rueda, completa nesta segunda-feira a marca de 100 dias à frente do clube e concedeu uma entrevista coletiva, através de uma "live", para comentar sobre os principais acontecimentos de sua gestão. Um dos assuntos abordados foi a negociação pela construção do novo estádio, que será erguido no lugar do Urbano Caldeira, a conhecida Vila Belmiro, com a WTorre.

O dirigente revelou que o Santos está em "negociações avançadas" com a construtora em relação ao projeto de construção da nova arena. Rueda detalhou o andamento de todo o processo aos torcedores e disse que os sócios terão participação na decisão final da proposta.

"Estamos em negociações com a WTorre para a construção de um novo estádio no lugar do Urbano Caldeira. Tivemos várias reuniões, teremos uma próxima no dia 20. Será apresentado pela WTorre o projeto 'final' com a parte arquitetônica. Vamos ajustar toda a parte comercial, quanto vai custar, qual o tempo para ser construído, queremos essa mudança, queremos aquela outra... Qual é a parte que vai ficar com clube em porcentual das receitas que a arena gerar e o tempo de contrato", afirmou o presidente.

"Quando o Comitê de Gestão estiver de acordo com o que foi acertado, ele vai ser levado para o Conselho Deliberativo (CD). Será aberto para que o CD entre com pedidos, emendas, apontando o que não gostaram e gostaram. Uma vez acertada a parte comercial, porque muitas mudanças podem afetar o custo, a nossa ideia é que se faça uma assembleia dos sócios para aprovar ou não o projeto que compromete o clube em 20, 25 anos", disse Rueda.

O presidente falou ainda sobre o projeto do Santos se de reaproximar de dois ídolos: Neymar e Pelé. Em relação ao jogador do Paris Saint-Germain, revelou ter conversado pessoalmente com o atacante e que gostou da reação.

"Independente de qualquer coisa, (Neymar) é ídolo da torcida. Tivemos uma reaproximação com a família e com ele. Tive uma conversa com ele e vocês precisam ver a cara de felicidade dele ao ver que estava conversando novamente com o Santos. Ele pediu uma camisa branca com o nome dele atrás. A gente mandou e na nossa final da Libertadores, ele fez questão de torcer pelo Santos com aquela camisa. Isso é importante para a internacionalização da marca", afirmou.

Sobre Pelé, Rueda apenas revelou que há "projetos" ligados ao Rei do Futebol e ao clube. "Era claro que a situação com o Pelé estava conturbada. A gente teve o cuidado para ter uma conversa muito carinhosa com ele e com o estafe dele no Brasil. Conversamos também com o presidente do fundo que administra a marca Pelé. Essas conversas foram muito importantes para restabelecer a aproximação e para, juntos, podermos ter projetos em conjunto de exploração das duas marcas. Estamos com projetos sendo desenvolvidos para explorarmos isto", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.