Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Presidente do Santos divulga nota para rebater Robinho

Luis Álvaro afirma ser necessário 'restabelecer algumas verdades distorcidas na nota de Robinho'

SANCHES FILHO, Agência Estado

12 de julho de 2013 | 17h41

SANTOS - O bate-boca público entre Robinho e o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, teve novo capítulo nesta sexta-feira, com a publicação de nota de esclarecimento no site do clube, na qual o dirigente procura esclarecer suas declarações sobre as fracassadas negociações para repatriar o jogador, dadas anteriormente em entrevista para a Rádio Bandeirantes.

Nos cinco itens do comunicado divulgado nesta sexta-feira, o presidente afirma que o Santos sempre será maior que seus ídolos, explica que ele não tem salário no clube e destaca a importância de "restabelecer algumas verdades distorcidas na nota (divulgada por Robinho, na quinta-feira)". Na ocasião, o atacante do Milan chegou a dizer que não volta a vestir a camisa santista enquanto a atual diretoria estiver no poder.

INTEGRA DO PRESIDENTE

"Em respeito à nota emitida pelo atleta Robinho, na noite de ontem (quinta-feira), o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, afirma que, em respeito ao que ele representa como ídolo do clube, não deseja polemizar publicamente. No entanto, em respeito aos sócios, que são os verdadeiros donos do clube, e os torcedores, nossos clientes apaixonados, é importante restabelecer algumas verdades distorcidas pela nota.

1) O Santos sempre será maior que seus ídolos e dirigentes, por melhores que sejam;

2) As negociações com Robinho não evoluíram, como publicamos em nosso site oficial na última quarta feira, porque a soma envolvida está além das possibilidades não apenas do Santos, mas de qualquer clube brasileiro. Foi exatamente o que reiterou o presidente na entrevista ao programa Na Geral, da Rádio Bandeirantes: ''...E o que o Robinho quer ganhar, somado ao que a gente teria que pagar ao Milan, dá um numero impraticável para qualquer clube no futebol brasileiro''. Ninguém lamentou mais o fim da negociação que o presidente, mas seu compromisso é com o clube, seus sócios e torcedores. É em defesa deles que o Comitê de Gestão se coloca, mesmo quando toma decisões que podem soar impopulares;

3) O clube possui registros das propostas feitas e recebidas, mas, em respeito à confidencialidade de qualquer negociação e ao que o ídolo Robinho representa para os santistas, continuará não revelando ou comentando qualquer valor;

4) Poucos clubes valorizam tanto seus ídolos como o Santos. Se não fosse assim, o próprio Robinho não teria retornado ao clube em 2010 e não teria negociado um possível retorno outras vezes, após sua última passagem;

5) Sobre aceitar ganhar menos, os membros do Comitê de Gestão são exemplos neste sentido: aceitaram trabalhar no Santos sem ganhar um centavo.

Da parte do Santos FC, lamentamos o tom exagerado da nota, reafirmando que a porta estará sempre aberta ao diálogo de bom nível com o craque, que continuará sendo um ídolo da torcida".

Tudo o que sabemos sobre:
BrasileirãofutebolSantos FCRobinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.