Reprodução / Santos FC
Reprodução / Santos FC

Presidente do Santos diz que futuro técnico terá o mesmo perfil de Ariel Holan

'Lembro que quando escolhemos o Ariel para ser o treinador, a aceitação da torcida foi de praticamente 100%', disse Andres Rueda

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

26 de abril de 2021 | 11h02

Ainda surpreso com o pedido de demissão de Ariel Holan, Andres Rueda, presidente do Santos, já começou a pensar em nomes para assumir o comando da equipe paulista. E, após anunciar a saída do argentino, garantiu que vai manter o mesmo perfil do treinador, com foco na base e no trabalho com apoio da tecnologia. "O perfil não se muda. Queremos um treinador que goste de jogar com a base, que jogue para a frente, que agregue a tecnologia", disse Rueda, na manhã desta segunda-feira. "Vamos fazer o possível para trazer o treinador mais rapidamente. A nossa comissão permanente existe para isso, para suprir essas lacunas entre um técnico e outro."

Rueda disse acreditar que o perfil de Holan havia sido aprovado pela torcida e agora não faria sentido mudar. "Lembro que quando escolhemos o Ariel para ser o treinador, a aceitação da torcida foi de praticamente 100%. A torcida entendeu, gostou da contratação. Era um nome bem cotado. De novo, ele tem um perfil que se encaixa no Santos. Simplesmente, as coisas não aconteceram como planejado."

Ainda sem citar nomes ou dar mais detalhes sobre o futuro treinador santista, o presidente indicou que poderia, eventualmente, efetivar o auxiliar técnico Marcelo Fernandes, da comissão técnica permanente do clube. A tendência é que Fernandes assuma o time de forma interina, já a partir do duelo contra o Boca Juniors, nesta terça, em La Bombonera, em Buenos Aires, na Argentina, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

Rueda afirmou que Holan pediu demissão por se considerar insatisfeito com a falta de resultados da equipe desde que chegou ao clube, no fim de fevereiro. Em 12 jogos no comando do time, o argentino obteve apenas quatro vitórias e acumulou cinco derrotas, além de três empates.

E sugeriu que a recente pressão da torcida contribuiu para a decisão do argentino. Um grupo de dezenas de torcedores protestou contra o clube na frente da Vila Belmiro na noite de domingo, após a derrota para o Corinthians por 2 a 0, em Santos, pelo Paulistão. "Houve até caso de fogos no apartamento dele. Soltaram rojão. Isso o deixou de uma maneira pouco confortável", lamentou Rueda.

O presidente deixou em aberto a possibilidade de Holan fazer seu jogo de despedida na terça, contra o Boca. E que a decisão será tomada ainda nesta segunda, véspera da partida. "Estamos vendo se realmente vai ser nosso técnico com o Boca ou se não vai ser nosso técnico com o Boca. Neste sentido, o clube tem uma coisa boa, uma comissão permanente", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.