Arquivo/AE
Arquivo/AE

Presidente do Santos elogia Mancini e descarta troca

Marcelo Teixeira diz que não analisa trabalho do atual técnico somente por 'dois ou três resultados'

SANCHES FILHO, Agencia Estado

29 de junho de 2009 | 18h37

A campanha do Santos no Campeonato Brasileiro não chega a ser excelente - está com 10 pontos, em 10.º lugar, e os técnicos Vanderlei Luxemburgo e Muricy Ramalho estão desempregados, mas o presidente Marcelo Teixeira garante que não pensa em trocar o comando da equipe. O dirigente aproveitou para elogiar o trabalho de Vágner Mancini, vice-campeão paulista, mas eliminado precocemente na Copa do Brasil.

Veja também:

linkKléber Pereira diz que empate dá tranquilidade ao Santos

linkPalmeiras e Santos empatam em 1 a 1 no Palestra Itália

linkEmpate no clássico é muito comemorado pelos santistas

linkVagner Mancini diz que não teme perder cargo no Santos

especial Mercado: as transferências dos times

especial MASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especial Visite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela / tabela Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Não analiso o trabalho de Mancini por dois ou três resultados e sim pelo período. Ele conseguiu índices importantes e com dois meses de trabalho nos levou à decisão do estadual mais difícil do País. Com Mancini, o Santos vai lutar por uma das vagas para a Libertadores do próximo ano", afirmou o presidente do Santos, que também explicou sua presença no CT Rei Pelé na manhã de sábado, logo depois da saída de Luxemburgo do Palmeiras. "Achei importante a minha presença, apoiando o trabalho do treinador, para acabar com o diz-que-diz", afirmou.

Marcelo Teixeira fez elogios a Luxemburgo e Muricy, mas mostrou sua satisfação com Vágner Mancini. "Admiro o trabalho dos dois. Um deles (Luxemburgo) conheço há tempo e tenho amizade com ele. Quanto ao outro, não tive oportunidade de conhecer, mas dá para perceber que fez um bom trabalho nos últimos anos. São dois treinadores de prestígio e capacidade e não vão ficar parados por muito tempo", disse o presidente do Santos, garantindo que não pensa em qualquer mudança na comissão técnica do time até o final do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.