Ernesto Rodrigues/AE - 03/01/2011
Ernesto Rodrigues/AE - 03/01/2011

Presidente do Santos garante permanência de Ganso

Recentemente o nome do jogador esteve envolvido em uma suposta negociação com o Corinthians

SANCHES FILHO, Agência Estado

22 de fevereiro de 2011 | 17h33

Paulo Henrique Ganso vai continuar sendo jogador do Santos por no mínimo mais um ano, garantiu o presidente do clube, Luis Álvaro Oliveira Ribeiro, nesta terça-feira. O dirigente revelou que o jogador garantiu sua permanência no time em conversa reservada na segunda.

"No fim da tarde, resolvi ir ao Centro de Treinamento Rei Pelé conversar com Ganso. Ele tinha terminado mais uma sessão de fisioterapia e se preparava para ir à capital fazer uma ressonância magnética, mas mesmo assim tivemos um papo fraternal e aberto por 20 minutos. A minha pergunta a ele foi se realmente pensava em ir embora ou se queria ficar no Santos, e pedi que me respondesse olhando nos meus olhos. Ganso nem pensou e disse que tem paixão pelo Santos e que está feliz no clube, mas não negou que após mais um ou dois no Santos pretende ir joga no exterior", revelou o presidente santista.  

No encontro, Luis Alvaro prometeu fazer o que Ganso vinha cobrando publicamente: apresentar nova proposta de carreira para o meia e pedir ao marketing do clube que desenvolva uma engenharia financeira, semelhante à que segurou Neymar na Vila, em agosto do ano passado. "Vamos chegar ao limite das nossas possibilidades para garantir a Paulo Henrique um rendimento mínimo como foi feito com Neymar", prometeu Luis Álvaro.  

Os dirigentes do clube estavam desconfiados que estivesse em curso uma possível manobra de investidores para tirar Ganso da Vila por R$ 60 milhões (valor da multa para clubes brasileiros), colocá-lo no Corinthians e no meio do ano repassá-lo a Internazionale ou ao Milan, ambos da Itália, por uma fortuna em euros. Porém, bastou um encontro entre Luis Álvaro e Ganso para que a suspeita deixasse de existir.

"Ainda não falamos sobre cifras. Esse aspecto ficou para reunião que vamos ter com Papito (Júlio Chagas Lima, irmão de Ganso), nos próximos dias", disse Luis Álvaro. "O Santos só não vai gastar mais do que arrecada porque no ano passado o clube pagou R$ 12 milhões de juros em razão de dois anos de administração equivocada anterior à nossa", concluiu o dirigente.

RECUPERAÇÃO - O período considerado mais difícil da recuperação de Ganso, quando era obrigado a se submeter a até três sessões diárias de fisioterapia, ficou para trás. Agora o armador já é visto fazendo exercícios físicos em campo, com os companheiros, como aconteceu nesta terça. Sábado passado, ele participou de um treino técnico, mas apenas se posicionando em campo, sem disputar a bola. Adilson Batista diz não ter pressa para o retorno do meia, mas espera contar com a sua presença no terceiro jogo da Libertadores, dia 16 de marco, contra o Colo Colo, em Santiago. A previsão do médico José Roberto Pécora, que operou Ganso, é que a liberação para jogar acontecerá no começo de abril.

Veja também

link Rafael diz que cobranças não assustam o Santos

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantosPaulo Henrique Ganso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.