Presidente do Santos nega interesse em repatriar Robinho

Jogador está perto de se juntar a Kaká no Orlando City e seria repassado ao Santos em transação semelhante à do são-paulino

SANCHES FILHO, O Estado de S. Paulo

21 de julho de 2014 | 19h45

O Santos assumiu oficialmente nesta segunda-feira que não tem o interesse na contratação de Robinho, que está perto de se juntar ao meia Kaká no Orlando City, dos Estados Unidos, com a possibilidade de ser repassado gratuitamente por empréstimo até o fim do ano para algum clube brasileiro. A informação foi dada pelo presidente do clube, Odílio Rodrigues.

"Como Robinho passa férias na cidade, é notado pelo torcedor, tem uma história maravilhosa no Santos e é um ídolo. Logo se faz a relação do seu retorno ao clube, mas não há possibilidade. A dificuldade é que ele está num patamar salarial fora da realidade do futebol brasileiro. E por merecimento. O nível de ganho de Robinho está fora do alcance. Falo pelo Santos", afirmou o dirigente.

Antes retornar à Itália, há duas semanas, Robinho esteve no centro de treinamento das categorias da base Meninos da Vila. Além disso, pessoas ligadas ao atacante teriam sondado a possibilidade de um segundo retorno dele à Vila Belmiro - o primeiro foi no primeiro semestre de 2010 -, mas o pedido de R$ 800 mil livres de impostos por mês de salário e R$ 450 mil de comissão para o pai e empresário dele, Gilvan de Souza, assustaram o clube.

De acordo com a advogada e representante de Robinho, Marisa Alija, os números que têm sido publicados na imprensa não são verdadeiros. Alija está na Itália para participar de reuniões com Adriano Galliani, homem forte do futebol do Milan, e dirigentes do Orlando City, que foi comprado pelo empresário brasileiro Flávio Augusto da Silva, ex-dono de uma escola de idiomas.

"É cedo para falarmos sobre o futuro. Antes de pensar em clubes para o empréstimo, o Orlando City terá de comprar Robinho do Milan. E, caso haja o acerto, então ele vai decidir como profissional que é, optando pela melhor proposta, levando em consideração a segurança no trabalho e a qualidade de vida na cidade onde terá de morar", afirmou Alija.

Se Robinho for contratado pelo Orlando City para disputar a Major League Soccer (MLS, a liga profissional dos Estados Unidos) a partir de março de 2015, será dele a escolha do clube para defender por empréstimo até o fim do ano, segundo Flávio Augusto. Alija afirmou que há clubes de outros dois países querem o atacante e que no Brasil os interessados em tê-lo por empréstimo seriam Santos, Atlético Mineiro, Flamengo e Cruzeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCRobinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.