Presidente do Santos se reúne com jogadores e cobra empenho

Técnico Leão faz pressão para o retorno do lateral Kléber e diz que futebol 'é parecido com uma novela'

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

19 de fevereiro de 2008 | 12h15

O presidente do Santos, Marcelo Teixeira, realizou nesta terça-feira uma reunião com os jogadores para cobrar empenho dentro do Campeonato Paulista. O dirigente, que conversou com os atletas por cerca de 50 minutos, também reforçou o apoio ao técnico Emerson Leão.   "O presidente falou de maneira correta e com as pessoas certas", explica Leão, em coletiva. "Ele tem uma boa condição para se expressar e aumentar a confiança do grupo. O Santos será outro após esta reunião. Será uma grande transformação."   Leão disse que recebeu um apoio maior do que esperava. "O campeonato ainda não acabou. Temos muito a crescer dentro do Paulistão. Essa reunião foi essencial para acertar alguns detalhes. Eu apostaria no Santos."   No entanto, o técnico disse que está ciente de que precisa mostrar resultados. "No futebol só existe uma realidade, que é igual ao ibope da televisão. Se uma novela não dá audiência, os atores são mortos e a trama acaba. No futebol, se você não vencer, tem de mandar embora mesmo."   Os atacantes Tiago Luís e Alemão, afastados por indisciplina, retornaram aos trabalhos físicos nesta terça-feira. "Eles tiveram um tempo para refletir. Agora é o momento de pensar na recuperação", explica Leão.   PRESSÃO POR KLÉBER Na zona de rebaixamento do Campeonato Paulista, o Santos volta a campo nesta quinta-feira para enfrentar o Guarani, na Vila Belmiro, às 20h30. Leão espera contar com o reforço do lateral Kléber, que se recupera de uma lesão abdominal.   Para isso, o técnico pressionou o departamento médico do clube. "Minha intenção é mandá-lo para campo", afirma Leão. "Tinham me dito que ele precisaria de 20 dias para se recuperar, mas este prazo já estourou. Porém, minha intenção também precisa ser assimilada pelos médicos."     Atualizado às 12h40 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.