Ivan Storti| Divulgação
Ivan Storti| Divulgação

Presidente do Santos vê volta de Gabigol e Robinho como improvável

Modesto Roma Junior ainda brinca com reforços de peso pedidos por Dorival

O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2016 | 14h34

Em Assunção, no Paraguai, para o sorteio da Libertadores de 2017, o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, comentou sobre os possíveis reforços da equipe para disputar o torneio continental. O dirigente classificou como "improvável" o retorno de Gabigol e Robinho, além de reagir com bom humor ao ser questionado sobre o interesse do técnico Dorival Junior em jogadores como Schweinsteiger, Ribery, Yaya Touré e Totti.

"Estamos atrás do Zidane, do Mourinho...", disse, rindo, em entrevista ao SporTV. "É apenas especulação sem sentido", completou Modesto.

Em seguida, o presidente do Santos comentou sobre o interesse em Gabigol, que está sem espaço na Inter de Milão, e Robinho, que tem contrato com o Atlético-MG por mais uma temporada. "Seriam excelente reforços, mas estão na faixa do improvável", comentou o dirigente. 

"O Gabriel está com uma vaga de extracomunitário e, se ele sair de lá, pode perdê-la. Gostaria de vê-lo no Santos, mas é muito difícil", explicou. "Já o Robinho tem contrato com o Atlético-MG até o final de 2017. Acredito que o presidente Daniel Nepomuceno não vai querer liberar."

Para 2017, o Santos já contratou o zagueiro Cleber, ex-Corinthians e que estava no Hamburgo, da Alemanha, o lateral-direito Matheus Ribeiro, do Atlético-GO, e o meia Vladimir Hernandez, colombiano que veio do Junior Barranquilla. 

"Queremos mais um zagueiro, um atacante pelo meio e dois pelas beiradas", disse Modesto, que confirmou o interesse no atacante Marinho, destaque do Vitória no Campeonato Brasileiro e que é pretendido por outras equipes. 

Em relação aos jogadores que podem deixar o clube, o presidente afirmou que, por enquanto, não recebeu nenhuma proposta. O lateral-esquerdo Zeca e o volante Thiago Maia estão entre os atletas que despertaram o interesse dos times europeus. "Não recebemos e não queremos receber. Deixa como está", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.