Presidente do Shakhtar fala sobre ataques à bomba ao estádio

Dombass Arena foi o alvo de duas bombas na manhã do último sábado; região do estádio sofre com a guerra civil na Ucrânia 

O Estado de S. Paulo

25 de agosto de 2014 | 17h06

Dois dias depois do ataque ao estádio a Donbass Arena, estádio do Shaktar Donetsk, o presidente do clube Rinat Akhmetov se pronunciou oficialmente no site do clube. Apesar de lamentar o ocorrido, Akhmetov ressaltou que o incidente não deixou vítimas.

"Um edifício afetado, mesmo que seja um como o Donbass Arena, é uma ninharia quando comparado com algo de verdadeiro valor - vidas humanas", disse. "Se me perguntassem se eu estaria pronto a ver o nosso estádio ser despedaçado em mil pedaços pequenos e a perder todos os meus negócios em troca da paz no Donbass, eu concordaria sem hesitar um único segundo".

A guerra civil entre Rússia e Ucrânia chegou à Dombass Arena com duas bombas na manhã do sábado, causando sérios danos na fachada e instalações internas do estádio. "A nossa região caiu em desgraça e se encontra no meio de uma catástrofe humanitária. Estabelecer a paz e salvar o Donbass - eis a tarefa mais importante agora", completou o presidente.

Desde o início dos conflitos, a região de Donetsk é um dos principais alvos dos separatistas pró-Rússia. Com os riscos, o clube decidiu se mudar para Kiev. Antes do atentado de sábado, já havia corrido o boato que o estádio teria sido alvo de bombas na semana passada, fato desmentido no site oficial.

Tudo o que sabemos sobre:
FutinterShakhtar DonetskUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.