Presidente do Sinaeco critica atraso nas obras da Copa

As obras para a Copa de 2014 já deveriam ter começado no início deste ano e o planejamento para o evento pode estar atrasado em até dois anos. O alerta foi feito nesta terça-feira pelo presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia (Sinaeco), João Alberto Viol, durante conferência no V Fórum Urbano Mundial do Programa da Organização das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), no Rio.

ALFREDO JUNQUEIRA, Agencia Estado

23 de março de 2010 | 20h03

Para ele, o Brasil ainda está numa fase inicial de preparação, avaliando que tipo de empreendimento terá ser feito para que o evento seja bem sucedido - algo, que na avaliação dele, deveria ter sido concluído em 2008. "A Copa de 2014 é uma oportunidade única para o desenvolvimento do Brasil. Não haverá uma nova oportunidade como essa no século XXI. É preciso que o País defina se vai querer ser uma vitrine ou uma vidraça", afirmou Viol.

O presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado do Rio de Janeiro (Crea-RJ), Agostinho Guerreiro, fez coro. Ele lembrou que ainda estão de pé todos os estádios que o projeto brasileiro para sediar a Copa de 2014 previa derrubar para a construção de novas arenas. "A gente está atrasado. Basta lembrar que não estamos falando de um evento para 2014. Mas para 2013", disse Guerreiro, referindo-se à Copa das Confederações, que ocorre um ano antes da Copa do Mundo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa de 2014Sinaeco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.