Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Presidente do STJD indefere liminar do Flamengo por paralisação do Brasileirão, mas marca julgamento

Otávio Noronha determinou o andamento urgente do processo que será julgado na próxima quinta-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2021 | 23h02

O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol, Otávio Noronha, indeferiu, inicialmente, a liminar solicitada pelo Flamengo para a paralisação do Campeonato Brasileiro por causa da convocação de jogadores para a Copa América. A competição começa no domingo.

Otávio Noronha, no entanto, determinou o processamento urgente da Medida Inominada e que a mesma entre com urgência na pauta de julgamentos do Pleno. A decisão foi comunicada na noite desta sexta.

Em despacho, o presidente do STJD afirmou que os argumentos do Flamengo são relevantes, mas que a paralisação é uma medida gravosa e que pode gerar prejuízos ao campeonato. 

Nesse sentido, Otávio Noronha não deferiu a liminar reivindicada pelo Flamengo, mas determinou o andamento urgente do processo com abertura de vista para a CBF e a Procuradoria da Justiça Desportiva. 

Com isso, o caso será julgado e definido em conjunto com os auditores do Pleno, última instância nacional, em sessão agendada para a próxima quinta-feira, dia 17, às 10h.

O Flamengo entrou com o pedido na noite de quinta-feira. A decisão em solicitar a paralisação é motivada pela quantidade de atletas rubro-negros convocados. Isso porque o clube conta com cinco desfalques durante a realização da Copa América: o meia Arrascaeta (Uruguai), o lateral-direito Mauricio Isla (Chile), o volante Piris da Motta (Paraguai) e o meia Everton Ribeiro e o atacante Gabriel (Brasil).

A abertura da Copa América está agendada para este domingo e a final está prevista para o dia 10 de julho. Sendo assim, os atletas serão desfalques até, pelo menos, o dia 28 de junho, quando se encerra a fase de grupos. A partir desta data, as ausências dependem das classificações das seleções nas fases de mata-mata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.